Delta deve perder $50 milhões em isenção após romper com a NRA

Após anunciar que iria terminar a parceira com a NRA (Associação Nacional do Rifle), a Delta Air Lines recebeu não apenas uma chuva de críticas por parte de cidadãos armados, mas está sendo ameçada por congressistas republicanos da Geórgia, que prometem barrar qualquer isenção de imposto para a companhia.




A Delta é a segunda maior aérea dos EUA, atrás apenas da American Airlines. É uma companhia natural da Geórgia, onde estabeleceu o seu mega hub no Aeroporto de Atlanta, o maior do mundo em número de passageiros.

O fim da parceria de descontos para o evento anual da NRA também foi feito pela United Airlines, baseada em Chicago, Illinois. Além das duas aéreas, diversas empresas cortaram relação com a NRA após o ataque na escola de ensino médio da Flórida que vitimou 18 pessoas. Desde do ataque, apesar de não ter sido causado por um membro da NRA, diversas pessoas levantaram a hashtag #BoycottNRA afirmando que o lobby feito pela associação contribuiu para o ataque.

Porém ao contrário da United, a Delta tem em seu estado natal uma maioria de republicanos, sendo a Geórgia um dos estados que elegeu Donald Trump. Soma-se a isso os seus hubs em Detroit e Salt Lake City, respectivamente nos estados do Michigan e Utah, que também têm maioria republicana, também elegeram Trump e são mais conservadores.

O boicote contra a Delta foi iniciado pelo republicano Casey Cagle, tenente-governador da Geórgia. Este cargo nos EUA é uma espécie de Vice-Governador, mas que tem como principal função ser o representante oficial do estado no Senado, e também assume o posto de governador na ausência deste.

Casey tweetou que iria barrar qualquer proposta no congresso sobre isenção de imposto de combustível para a Delta, a não ser que a companhia “restabeleça de maneira completa a parceria com a NRA”. Outros republicanos também retiraram seu suporte à lei de isenção de impostos da Delta após o anúncio da companhia.

O New York Times estima que esta lei de isenção de impostos em combustíveis iria gerar uma economia de $50 milhões de dólares para a Delta, algo em torno de R$162 milhões de reais. Em compensação a aérea teria que continuar investindo no estado, abrindo novas rotas e gerando novos empregos. No Brasil esta prática é feita com a Azul em Minas Gerais, e com outras aéreas em Recife, Natal, Fortaleza e outras cidades brasileiras.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias