Delta coloca medicação anti-overdose em seus voos

Para combater crises de overdose de drogas com seus passageiros em voo, a americana Delta Air Lines está começando a levar medicação anti-overdose.

O remédio tem como o princípio a Naloxona (também conhecido como Narcan), usada para reverter overdoses de opiodes como heroína ou morfina em caso de emergência.

A empresa aérea falou que desde o início do ano adicionou medicamentos a base de Narcan nos seus kits de primeiro socorros, e estará disponível em todos os aviões a partir do inverno norte-americano (setembro).

“Olhando como estamos na epidemia de opiodes, a nível nacional, faz sentido para a Delta ter esse medicamento a mrodo” disse Michal Tomas, porta-voz da aérea.

O vício em opiodes, maioria das vezes encontrados em medicamentos com prescrição médica é uma dos grandes problemas da saúde pública nos EUA: segundo dados do TheGuardian, 97 pessoas morreram por dia de overdose de opiodes no país em 2015, somando mais de 52 mil mortes por ano.

Ao mesmo tempo essa adição do “antídoto” pode causar outros problemas: por maioria dos opiodes de “fácil” acesso estarem em medicamentos contra dor ou para algum tipo de tratamento, não é incomum o caso de pessoas procurarem hospitais alegando dores mas querendo satisfazer seu vício.

Caso recente de overdose em voo da companhia gerou críticas

Em outubro do ano passado a Delta foi criticada por dois paramédicos experientes quando um passageiro passou por uma overdose 15 minutos após a decolagem de Atlanta rumo à Nova Orleans.

Os socorristas Jared Oscarson e Pat Songer auxiliaram a tripulação no socorro ao cliente. Após medirem o nível de açúcar no sangue com um dos equipamentos no kit de primeiro socorros, foi descartado que o passageiro tinha hipoglicemia.

Ao repararem que o passageiro estava com as pupilas dilatadas, foi constado a overdose, sendo o Narcan uma solução simples e eficaz para salvar o passageiro, porém o avião não contava com o medicamento.

Por estarem próximos de Atlanta, o avião retornou rapidamente e o passageiro foi atendido pelos bombeiros do aeroporto que aplicaram o remédio. Apesar de tudo ter finalizado bem, a Delta e outras aéreas foram alvo de críticas de profissionais da saúde por não contar com Narcan a bordo, medicamento que custa $140 dólares.

Vale lembrar que o Narcan não combate overdose de outras drogas que também causam overdose e vitimam pessoas como MDMA (Ectasy/bala), MD (doce), Metanfetamina (Cristal) ou LSD (Papel).

Com informações do Atlanta Business Chronicle e EMS World

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos