Demanda global por viagens aéreas cai ainda mais em janeiro

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, em inglês) divulgou na terça-feira, 2, que o transporte aéreo de passageiros caiu ainda mais em janeiro. A queda pode ser observada tanto na comparação com os níveis pré-pandemia, quanto com os números de dezembro de 2020.

A IATA usou como base de comparação os números registrados em janeiro de 2019, já que o mesmo mês no ano passado já era afetado pela pandemia de COVID-19. Dessa forma, é possível ter uma análise dos dados atuais em relação a um período de viagens em condições normais de tráfego e sazonalidade.

De acordo com a organização, a demanda total por viagens aéreas em janeiro de 2021 caiu 72% em comparação com janeiro de 2019. O índice é pior do que a queda de 69,7% ano a ano registrada em dezembro de 2020, o que evidencia o aprofundamento da crise.

A capacidade de transporte das aeronaves 58,7% em todo o mundo, resultado da redução do número de aeronaves em operação. Já o índice de ocupação dos aviões caiu 25,7 pontos percentuais, e chegou a 54,1%.

Mercado doméstico

Ao contrário do que vinha sendo observado nos últimos meses, com resultados negativos concentrados no segmento internacional, com progressiva recuperação das viagens domésticas, desta vez os voos internos também apresentaram deterioração.

Os voos nacionais diminuíram 47,4% na comparação com a fase pré-pandemia. Em dezembro, a queda havia sido de 42,9%. A demanda de passageiros internacionais em janeiro foi 85,6% abaixo do registrado no mesmo mês de 2019, levemente acima da retração de 85,3% no final de 2020.

Os piores resultados foram observados no Oriente Médio e na Europa. Nas duas localidades, as quedas na movimentação de passageiros foi de 80,7% e 77,4%, respectivamente. A América Latina, teve o melhor desempenho no período. Na região, a queda na demanda por viagens aéreas caiu 58% em relação a janeiro de 2019.

Novas restrições

Para o diretor-geral e CEO da IATA, Alexandre de Juniac, a velocidade das novas contaminações inibem os resultados que a vacinação poderia proporcionar. “2021 está começando pior do que 2020 terminou e isso quer dizer muito. Mesmo com os programas de vacinação ganhando força, novas variantes do COVID estão levando os governos a aumentar as restrições às viagens” disse de Juniac em declaração a imprensa.

Para o executivo, as incertezas sobre quanto tempo as restrições de viagens aéreas irão durar tem um impacto nas viagens futuras. “As reservas antecipadas em fevereiro deste ano para a temporada de viagens de verão no hemisfério norte ficaram 78% abaixo dos níveis de fevereiro de 2019”, completa.

Confira os resultados por região do planeta:

Janeiro/2021% de MercadoDemandaCapacidadeOcupação (Variação)Ocupação total
Mercado global100,0%-72,0%-58,7%-25,7%54,1%
África1,9%-63,9%-53,0%-16,4%54,4%
Ásia-Pacífico38,6%-71,5%-59,0%-24,8%56,6%
Europa23,7%-77,4%-68,7%-22,4%57,6%
América latina5,7%-58,0%-49,5%-13,9%68,5%
Médio Oriente7,4%-80,7%-65,8%-32,4%42,2%
América do Norte22,7%-67,5%-46,5%-31,2%48,4%

Informações da IATA

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias

Governo Dória publica edital de concessão para 22 aeroportos regionais paulistas

0
O Governo de SP lança o edital de concorrência internacional para leilão da concessão dos 22 aeroportos regionais, atualmente administrados