Descobrimos quais são os 3 primeiros Airbus A320 da ITA Transportes Aéreos

Na data de ontem falávamos, com base num levantamento da jornalista Solange Galante, sobre as três primeiras matrículas reservadas para as aeronaves da ITA Transportes Aéreos. Nessa quinta-feira (1), tornou-se pública a informação de quais aeronaves receberão cada uma dessas matrículas.

Segundo dados atualizados do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), descobrimos quais foram as aeronaves informadas pela ITA Transportes Aéreos à ANAC. Veja o histórico:

PS-SPJ – Airbus A320-200

Sua matrícula é o acrônimo do nome do dono do grupo Itapemirim Sidnei Piva de Jesus. Tem dez anos de idade, tendo sido entregue à empresa indiana IndiGo novo de fábrica em Maio de 2010 como VT-IGL (MSN 4312).

Pertence atualmente à empresa de leasing AirCastle e hoje está armazenado em Phoenix, nos Estados Unidos, com uma pintura toda branca e registro irlandês EI-GTJ.

PS-TCS – Airbus A320-200

Carrega na matrícula o acrônimo do CEO da empresa aérea, Tiago da Cruz Senna. Trata-se de outro Airbus A320 de dez anos de idade, também entregue novo à IndiGo em fevereiro de 2010, onde voou com a matrícula VT-IGK (MSN 4216).

Atualmente ainda encontra-se em nome da empresa indiana e está parado em Fujairah, nos Emirados Árabes, desde o início da pandemia.

PS-AAF – Airbus A320-200

A matrícula é o acrônimo para Adilson Aparecido Furlan, COO do Grupo Itapemirim. É uma aeronave que, como os anteriores, voou apenas nas cores da indiana IndiGo, tendo sido entregue em dezembro de 2009 como VT-IGJ (MSN 4156).

Atualmente ainda está em nome da empresa indiana e parado em Hyderabad desde o dia 26 de julho.

Os outros sete

Conforme entrevista recente, Tiago Senna, CEO da empresa aérea, a ITA operará com dez aeronaves de início. Na noite de quarta-feira (30), ele publicou em seu perfil no LinkedIN uma foto sentado à mesa com alguns papéis sobre ela e o comentário “decidindo sobre mais sete aviões”. A resolução da imagem não permitiu ler os papéis ou confirmar seu teor, mas pode-se notar que um deles leva o timbre da Dubai Aerospace (DAE), uma conhecida empresa de leasing – pode ser que se referia a um dos jatos acima.

Sobre os próximos, vamos aguardar até que a empresa defina e divulgaremos oportunamente.

Sem A321

Embora o registro na ANAC tenha sido feito pela empresa aérea como que para um A321, a confirmação das matrículas na data de hoje mostra que todos eles são Airbus A320. Com as informações acima, já é possível rastrear as aeronaves e acompanhar toda sua movimentação até que cheguem no Brasil.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias