Início Mercado Devolução dos A350 pela Latam ilustra um dos grandes problemas das locadoras...

Devolução dos A350 pela Latam ilustra um dos grandes problemas das locadoras aviões

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A recusa da LATAM de sete Airbus A350 que aluga da AerCap, como parte de sua reestruturação do Capítulo 11 dos EUA, é um golpe potencial para o arrendador e ilustra novos riscos operacionais do arrendador. Essa é uma matéria de nossa parceira CIRIUM, uma empresa focada em dados para a aviação.

A notícia recente de que a LATAM está devolvendo sete Airbus A350 que arrendou da AerCap (além de outros cinco de outros locadores), como parte de sua reestruturação do Capítulo 11 dos EUA, é um golpe potencial para o arrendador e ilustra amplamente o risco que as reorganizações por falência representam para os arrendadores operacionais.

Esses A350 específicos foram todos adquiridos da LATAM pela AerCap por meio de compra e leaseback quando foram entregues pela Airbus, entre setembro de 2016 e dezembro de 2019. Os dados das frotas do Cirium Core indicam que os arrendamentos foram normalmente programados para um prazo de 12 anos. 

Se esses acordos foram celebrados de acordo com as atuais Taxas de Arrendamento de Mercado (estimadas pela Cirium), os aluguéis teriam ficado entre $ 1,07 milhão e $ 1,1 milhão por mês por avião. Assim, estimamos que, no início de 2020, a AerCap esperaria arrecadar pouco mais de $ 7,6 milhões por mês da LATAM para essas aeronaves.

Se os documentos apresentados ao tribunal de falências estiverem corretos, essas aeronaves serão devolvidas ao locador em três lotes entre este mês e o início de junho de 2021. Nesse ponto, o locador perderá o aluguel de $ 7,6 milhões e enfrentar o desafio significativo de recolocar esses sete A350 em um ambiente de mercado muito difícil. Mesmo se eles forem capazes de colocar essas aeronaves de forma relativamente rápida em nossas taxas de arrendamento de mercado atuais, que agora estão entre $ 580.000 e $ 700.000 por mês, então os aluguéis agregados serão cerca de 40% mais baixos por mês, em cerca de $ 4,6 milhões.

No contexto de todos os aluguéis mensais médios da AerCap, reportados em suas demonstrações financeiras, de cerca de US$ 314 milhões, a perda mensal de US$ 3 milhões pode não parecer significativa. Mas a perda de receita líquida de caixa ao longo da vida do arrendamento é potencialmente significativa. Com base nos aluguéis discutidos acima, eles provavelmente ultrapassariam US$ 300 milhões ao longo da vida dos arrendamentos de 12 anos.

A AerCap certamente não está sozinha nessa situação. A maioria dos locadores operacionais provavelmente enfrentará desafios semelhantes com outras companhias aéreas e tipos de aeronaves. Embora haja sinais de otimismo na recuperação da demanda, parece provável que os locadores arcarão com os custos das reorganizações das companhias aéreas por algum tempo.

Por Rob Morris, chefe global de consultoria da Ascend by Cirium