Com dezenas sem máscara em voo, viajantes comeram no banheiro por medo da Covid

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Boeing 787-10 United Airlines
Imagem: Adam Moreira / CC BY-SA, via Wikimedia Commons

Como já noticiamos aqui no AEROIN, diversas companhias aéreas, em tempos de pandemia, têm adotado procedimentos de segurança muito rígidos, visando o bem-estar e a segurança dos seus passageiros. Para conter o contágio do novo Coronavírus, as companhias estão expulsando de seus voos passageiros que não cumprirem as políticas de uso de máscaras de proteção a bordo.

Mas uma situação completamente fora desse padrão estranhamente se desenvolveu a bordo recentemente.

Um voo totalmente inseguro

Segundo o Times Of Israel, um voo da United Airlines que aconteceu no final de janeiro, que partiu de Newark (Nova Jersey) para Tel Aviv (Israel), teve alguns problemas a bordo com passageiros relatando que havia dezenas de pessoas se recusando a usar as máscaras de proteção facial.

Fotos disponibilizadas por uma passageira, publicadas via Twitter de uma rádio que a entrevistou, mostram o interior de um Boeing 787-10, da United Arlines, com passageiros judeus ultraortodoxos na classe econômica caminhando e orando pelo corredor da aeronave sem o uso da máscara de proteção facial, além de outros fazendo o uso inadequado das mesmas.

Segundo a passageira Tali Tenenbaum, que estava no mesmo voo, já no embarque podia-se avistar os vários passageiros sem a proteção facial, acrescentando ainda que a maioria deles eram Haredi (judeus considerados ultraordoxos). Confira um trecho do relado, em que ela critica a companhia aérea por não resolver a situação de risco à saúde dos demais viajantes:

“O voo estava parcialmente ocupado, havia lugares vazios. Com toda a franqueza, em toda a minha vida nunca vi tal comportamento, tanto desprezo. Ficamos sentados durante todo o voo numa espécie de criadouro do coronavírus, e agora não sabemos se fomos contaminados.

Aquelas pessoas ficaram sentadas sem máscaras durante todo o voo, por quase 10 horas. Não comíamos, não dormíamos. Íamos ao banheiro para poder comer e beber, porque tínhamos medo de tirar as máscaras ali.”

Ainda segundo ela, as pessoas que estavam sem a proteção foram orientados por outros passageiros a colocarem suas máscaras e não se reunirem para orarem sem elas, mas todos os pedidos foram completamente ignorados.

O que espanta nesse infeliz acontecimento é que, pelos relatos, estranhamente a tripulação desse voo nada fez, não insistindo em nenhum tipo de orientação, uma vez que, como já dito, nestes tempos pandêmicos as companhias aéreas têm levado à risca as políticas de uso de máscaras de proteção a bordo, para evitar o contágio do novo Coronavírus.

Segundo o próprio site da United Airlines, o não uso de máscara facial no aeroporto ou a bordo da aeronave é apontado como crime federal e pode acarretar multas de até USD 35.000, podendo o infrator ter o transporte recusado e perder seus privilégios de viagem com a United.

A United Airlines teria se recusado a responder ao acontecido.

Leia a seguir alguns casos recentes de expulsão por parte de companhias aéreas:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Lote de mais 5 milhões de doses da vacina do Butantan...

0
Uma nova remessa de matéria-prima da fábrica da biofarmacêutica Sinovac Life Sciences para o Instituto Butantan chegou na manhã de ontem