DHL expande frota com conversão de dois B767 que foram da American Airlines

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Boeing 767-300ER American Airlines
Boeing 767-300ER da American Airlines – Imagem: Russell Lee / CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

A divisão aérea da alemã DHL, uma das grandes empresas globais de logística que também tem se beneficiado dos impactos positivos da pandemia para o transporte aéreo puramente cargueiro, está recorrendo à conversão de mais aviões de passageiros para conseguir ampliar sua frota em meio à escassez de jatos de carga no mercado.

Segundo reporta o Cargo Facts, dois Boeings 767 de transporte de passageiros, que foram aposentados pela American Airlines, estão entrando em processo de conversão para se tornarem cargueiros. Ambos são da variante 767-300ER, frequentemente vista no Brasil até a substituição pelos Boeings 787 e 777.

Um dos B767 é o de número de série 33081, que, segundo dados do Airfleets, foi fabricado em 2002 e entregue diretamente para a própria American Airlines. Foram pouco mais de 17 anos voando na companhia sob a matrícula N342AN, até ser retirado de serviço após o início da pandemia, em março do ano passado.

O histórico do FlightRadar24 mostra que o jato voltou a voar na última quarta-feira, 3 de fevereiro, tendo decolado do Roswell, EUA, local em que estava estocado, e voado com escala em Laredo, EUA, para a Cidade do México, onde deve ser feito o processo de conversão.

O N342AN voando para a Cidade do México nesta semana – Imagem: FlightRadar24

O outro Boeing 767 é o de número de série 33085. Os dados do Airfleets mostram uma trajetória quase idêntica, tendo sido entregue à American cerca de 5 meses depois, já em meados de 2003, com a matrícula N346AN. Também deixou os céus no final de março de 2020 e voltou a voar nos últimos dias.

O FlightRadar24 registra sua decolagem de Roswell em 30 de janeiro de 2021, porém, seu destino, com escala em Anchorage, EUA, foi Singapura, para o processo de conversão para cargueiro na Ásia.

O N346AN voando para Singapura no domingo – Imagem: FlightRadar24

A capacidade do 767 convertido é muito próxima do 767F que já sai de fábrica cargueiro. O jato convertido pode levar até 50 toneladas de carga paga em um voo de até 5.556 quilômetros de distâncias, tendo seu peso máximo de decolagem de 186 toneladas.

A DHL não possui uma frota de operação própria tão grande em suas diversas subsidiárias espalhadas por vários países, porém, tem parcerias com grandes empresas cargueiras do mundo todo para operarem sua frota.

Dessa forma, possui quase 200 aeronaves a sua disposição, que vão desde os turboélices ATR-42 e ATR-72 até os grandes Boeings 777 e 747.

Avião ATR 42 DHL
ATR 42 – Imagem: aeroprints.com / CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Avião Boeing 747-400F Polar DHL
Boeing 747-400F – Imagem: Maarten Visser / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Latam decora aeronave com imagens de jogadores de futebol chilenos

0
A LATAM Airlines, como companhia aérea oficial da Seleção Chilena de Futebol, é responsável pelo transporte dos jogadores e da comissão