O dia em que a VarigLog presenteou o público com o lindo rasante do Boeing 727

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Vídeo Boeing 727 VarigLog Rasante Araras
Captura de tela do vídeo que você verá abaixo – Fonte: Cmte. Fernando Soncela / YouTube

Era maio de 2004. Uma época em que os maiores shows aéreos da aviação brasileira ainda eram marcados pela presença de jatos comerciais apresentando-se em bonitos voos de performance.

Ao contrário dos tempos recentes, em que os grandes eventos, por questões de segurança, são obrigados a impor limitações de altitude mínima e distância do público para as aeronaves que se apresentam (não entremos aqui no mérito de tais limitações serem ou não válidas, porque as discussões serão certamente longas e recheadas de opiniões racionais conflitando com opiniões apaixonadas), naquele passado não muito distante havia uma grande liberdade para rasantes. E eles eram realmente “rasantes” ao solo e próximos aos expectadores.

Além da própria diferença de limitações em relação ao hoje, eram também tempos em que as companhias aéreas tinham maior facilidade em enviar seus jatos comerciais para apresentações nos shows aéreos. Talvez por menores custos operacionais do que a atualidade, talvez por concorrência reduzida que permitia maiores lucros, talvez por ausência de uma preocupação mais incisiva com os custos resultantes de tais atitudes, ou talvez por diversos outros motivos.

Mas, independente do que levava à situação diferenciada naquele momento, o fato é que quem o viveu pôde conferir cenas inesquecíveis, como o rasante, referido no título, do clássico Boeing 727 da VarigLog, a divisão de transporte de cargas da falecida companhia aérea brasileira.

Posso falar com a propriedade de quem esteve lá, vendo e ouvindo ao vivo o bonito trijato em grande velocidade e baixa altura, e a poucos metros de distância, que a sensação foi única.

Com 16 anos de idade naquele maio de 2004, no aeroporto de Araras, já gostava de fotografar aviões, mas não posso dizer que entendia de fotografia e que sabia fotografar. Com uma pequena câmera bastante simples, inspirado em sites como o JETSITE do “Panda” e o Airliners.net, tirava as fotos nos shows aéreos achando que uma delas acabaria chegando próxima da qualidade dos sites. Inocência! (risos)

Apenas para ilustrar como eram minhas fotos naquela época, veja a seguir duas tiradas durante as passagens do Boeing 727. A mancha preta na primeira delas é o braço de uma pessoa que estava ao meu lado e o levantou durante o rasante (tente imaginar a raiva do jovem fotógrafo…). A segunda, apesar de livre de braços, mostra o jato embaçado, por não saber acompanhar direito o movimento do avião durante a captura da imagem. Grandes decepções… (risos)

Mas, felizmente, apesar da falta de fotos decentes para a demonstração física das imagens gravadas na mente, outros apaixonados por aviação já iam além da fotografia e gravavam vídeos. Ufa! Para quem esteve lá, temos como reavivar ainda mais as cenas na memória, e para quem não esteve, é uma ótima oportunidade de ao menos ver os bonitos rasantes.

Então aproveite. Veja abaixo os dois vídeos daquele memorável dia.

O primeiro deles foi filmado pela Comandante Fernando Soncela aproximadamente onde eu estava na foto do fatídico braço na frente (provavelmente uma das cabeças do vídeo é minha, mas não consegui identificar com certeza):

O segundo vídeo, gravado em outra posição, permite uma visão mais limpa da curva a baixa altura no final da pista (assustei naquele dia, achando que a asa bateria no chão!). A subida após o último rasante com “tchauzinho” também foi espetacular:

Você também esteve lá? Gostaria de ter estado?

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias