Início Empresas Aéreas Disputa entre Qatar Airways e Airbus é revelada e envolve acusações mútuas

Disputa entre Qatar Airways e Airbus é revelada e envolve acusações mútuas

Após o CEO da Qatar Airways falar sobre um desentendimento com a fabricante europeia Airbus, mas se negar a dizer o motivo, foi recentemente descoberta a causa da desavença.

Imagem: Gerard van der Schaaf / CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

Depois de criticar de forma dura o programa A380, dizendo que a compra do modelo foi o maior erro de sua história, o presidente-executivo da Qatar Airways, Akbar Al Baker, havia falado sobre um problema atual com a Airbus, mas não deu detalhes sobre seu esse novo desentendimento.

Agora, no entanto, detalhes foram revelados, conforme relata a Reuters. Embora Al Baker tenha dito não poder dar mais detalhes sobre o assunto, assim como também o fez a fabricante, fontes confiáveis dizem à agência de notícias que a série de discussões tem relação com a pintura de aviões.

A princípio, a companhia aérea de bandeira catari entrou numa disputa com a Airbus ao reclamar sobre falta de qualidade na pintura de seus A350 e, com isso, declarar que atrasos poderão acontecer na entrega dos jatos à Qatar.

Alguns executivos da Airbus, entretanto, acusam que a companhia aérea está se aproveitando de sua posição como uma marca premium para atrasar as entregas dos jatos através das reclamações infundadas sobre a pintura.

O problema surge em um momento em que a Airbus, assim como as demais fabricantes, passa por um momento delicado, onde precisa acelerar a entrega de seus jatos e seus clientes não aceitam por conta da atual crise pandêmica e a baixa demanda por voos que afetou o setor aéreo, especialmente o internacional.

Assim, sem apresentação oficial de informações por ambas as partes, não há como saber se a Airbus de fato falhou na qualidade da pintura ao acelerar seus processos, ou se a Qatar está realmente tentando arrumar uma forma de atrasar as entregas.

Segundo o executivo da companhia aérea, se o problema não for resolvido, haverá a paralisação do recebimento de aviões Airbus, o que afetará não apenas a própria Qatar, mas também outras empresas nas quais o grupo árabe tem participação, como a LATAM e o grupo IAG (British Airways e Iberia, entre outras).

Leia mais:

Sair da versão mobile