Dono da ITA Transportes Aéreos quer Airbus A320 com apenas 110 assentos

Em uma longa entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o dono do Grupo Itapemirim, Sidnei Piva, revelou seus planos ambiciosos que incluem voar com poucos assentos nos jatos Airbus A320, numa configuração VIP jamais vista na história recente da aviação brasileira.

Concepção Artística – AEROIN

A entrevista foi concedida nessa quinta-feira (15) à Folha de São Paulo. Nela, Sidnei Piva, dono do Grupo Itapemirim, que é dono do Grupo Itapemirim e controlador da ITA Transportes Aéreos, a mais nova companhia aérea do Brasil, afirmou que irá colocar poucos assentos no jato da empresa, o Airbus A320.

À Folha, Piva disse: “o A320 comporta 160 pessoas, mas pedimos uma disposição para apenas 110 passageiros. As poltronas serão maiores e com mais espaço entre elas”.

De acordo com a EASA, Agência Europeia de Aviação Civil, a capacidade máxima de assentos do Airbus A320 é de 195, a depender do tipo de saída de emergência equipada na aeronave. Porém, essa configuração não é utilizada por nenhuma empresa aérea, que em média colocam em torno de 180 assentos no A320.

No Brasil as únicas operadoras do A320 são a Azul e a LATAM, que levam no máximo 174 passageiros. Na Avianca Brasil, os jatos estavam configurados com 162 assentos. A concorrente GOL, que voa o Boeing 737-800, concorrente direto do A320, tem reconfigurado seus jatos para 186 assentos, que é o mesmo padrão no 737 MAX 8.

Caso as aeronaves venham realmente com 110 assentos ou algo próximo disso, será necessário apenas três comissários por voo, já que é necessário apenas um comissário a cada 50 passageiros, logo, entre 100 e 150 clientes podem ser apenas três.

Existe a possibilidade de Piva ter confundido o A320 com o menor A319, ainda que ele tenha citado especificamente o A320 na mesma fala. O A319 é quatro metros menor que o A320 e já esteve no radar da ITA conforme entrevistas passadas. Sua capacidade máxima de passageiros é de 160, sendo que na LATAM está configurado para 144 assentos e na Avianca Brasil eram 132.

Uma diminuição de 50 assentos ou porcentagem equivalente em qualquer um dos jatos, colocará numa densidade nunca vista na aviação nacional recente, uma configuração bastante VIP. A ver as cenas dos próximos capítulos.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Novo avião russo MC-21, rival do B737 e A320, sofre incidente...

0
Imagens da aeronave após o pouso, conforme o vídeo, mostram que o jato acabou atolado em uma espessa camada de neve.