É oficial: Delta ficará com 20% da Latam

A Delta Airlines ficará com 20% da Latam Airlines, de acordo com um comunicado divulgado no domingo, 29 de dezembro.

Errata: o percentual correto é de 20% e não 23% como informamos inicialmente. O restante das informações permanece inalterado.

Latam

O processo foi conduzido pela Santander Corretora, que informou um alto índice de sucesso (86%) no negócio e que a Delta pagou US$ 16 dólares por ação, o que significa um investimento total de US$ 1,9 bilhão de dólares, apropriando-se de uma parte importante da empresa aérea latina.

Conforme relatado pelo El Mercurio, essa é a segunda maior operação do ano no mercado chileno, somente superado pelos US$ 2,2 bilhões pagos pela chinesa State Grid à Sempra Energy, pela compra das empresas Chiquinta e TecnoRed, em outubro passado.

Essa compra representará uma grande mudança para o panorama das aviações latino-americana e estadunidense. As duas companhias aéreas oferecem 25,9% dos assentos da América do Sul aos EUA e 31,9% da América do Sul para a América do Norte, desafiando a gigante American Airlines.

No total foram US$ 4 bilhões

A operação forma parte de uma aliança global anunciada em 26 de setembro por Delta e Latam, que inclui a criação de uma joint-venture, na qual a Delta aportará US$ 350 milhões para sua criação. Esse contrato não apenas permite que eles cresçam nos dois mercados, a Latam garante que continua a reduzir seus passivos e a Delta obtém acesso privilegiado em alguns dos mercados mais importantes e de mais rápido crescimento da América Latina, principalmente, considerando que a Latam tem uma posição liderança nos crescentes mercados do Peru, Equador, Argentina e Colômbia.

Da mesma forma, a companhia estadunidense adquirirá quatro A350 da Latam e assume o compromisso de receber outras dez aeronaves do modelo que estavam encomendadas pela latina, e cujas datas de entrega seriam de 2020 a 2025, num negócio de US$ 2 bilhões. Com isso, o total do acordo custou para a Delta US$ 4 bi.

Codeshare

Da mesma forma, o Grupo Latam no Peru, Colômbia e Equador anunciou a assinatura dos acordos de compartilhamento de código com a Delta, que entrarão em vigor no primeiro trimestre de 2020 e resultam no cancelamento do acordo que a latina tem com a American Airlines.

“Esses códigos compartilhados representam um marco importante na jornada da América Latina em oferecer a melhor conectividade e experiência do cliente nas Américas. Em breve, nossos passageiros poderão acessar até 74 destinos nos Estados Unidos e no Canadá, que é apenas um exemplo da natureza complementar de nossas redes e um dos vários benefícios futuros que o acordo estratégico com a Delta trará ”, disse Enrique Cueto, CEO do Grupo Latam Airlines, na época.

Carlos Roman
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

FAB intercepta monomotor suspeito no Pará; piloto pousa e põe fogo...

0
A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, na manhã desta sexta-feira (25/09), sobre o Estado do Pará, uma aeronave classificada como suspeita