easyJet solicita a postergação da entrega de 24 aviões Airbus A320

easyjet

Em comunicado emitido na manhã desta quinta-feira (9), a easyJet informar que continua a se concentrar em maximizar a liquidez para o caso de um período prolongado de parada de operações e garantir que os negócios estejam adaptados à demanda reduzida. Para esse efeito, a easyJet chegou a um acordo com a Airbus para o diferimento de 24 entregas de aeronaves dos exercícios de 2020, 2021 e 2022.

Isso significa que, em comparação com o plano de frota divulgado anteriormente, as seguintes entregas de aeronaves serão adiadas

– 10 entregas de aeronaves a menos em 2020;
– 12 entregas a menos em 2021; e
– 2 entregas a menos em 2022

Como resultado, em 2021 a companhia aérea não receberá aeronaves e mantém a opção de adiar mais 5 entregas no ano de 2022. Datas exatas de entregas futuras das aeronaves adiadas devem ser acordadas posteriormente.

Esse número tem uma razão. Nos próximos 16 meses, a easyJet também possui 24 arrendamentos operacionais com vencimento para renovação, proporcionando maior flexibilidade à companhia aérea, o que pode incluir adiamento ou cancelamento.

Como resultado dessas ações, a frota tem flexibilidade para ser inferior ao plano anterior, mantendo também a flexibilidade para responder a ambientes de demanda futuros. Ele também proporcionará reduções significativas nos gastos de capex nos próximos três anos.

A empresa prometeu dar mais detalhes de seu plano de frota na próxima semana, durante uma conferência com investidores.

Johan Lundgren, CEO da easyJet, disse:

“Nossa indústria está enfrentando desafios sem precedentes, que exigem ações sem precedentes. Como dissemos constantemente, continuamos totalmente focados em melhorar a liquidez a curto prazo e reduzir os gastos em toda a empresa. Hoje, tenho o prazer de anunciar que concordamos com a Airbus em alterar nossa grade de entregas, adiando a absorção de 24 aeronaves, proporcionando um aumento significativo em nosso fluxo de caixa e uma grande redução em nosso programa de investimentos de curto prazo”

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Grupo Itapemirim quer participar das concessões dos aeroportos brasileiros

0
O presidente do Grupo Itapemirim, falou sobre as ambições da empresa em entrevista à Folha, que incluem ganhar licitações para concessão de aeroportos.