Efromovich oficializa interesse na falida Jet Airways da Índia

Os credores da falida Jet Airways estenderam até o próximo sábado, o prazo para investidores que querem reeguer a companhia se apresentarem, e tem um motivo: Germán Efromovich.

Boeing 777 da companhia já operou no Brasil em voos da Etihad Airways

Após quebrar a Avianca Brasil, perder controle acionário da Avianca Colômbia, tentar investir na Alitalia e até cogitar comprar a polonesa LOT, Efromovich, através da sua holding Synergy Group, quer agora fazer negócios na Índia.

Segundo reporte do portal financeiro LiveMint, uma pessoa envolvida no processo de falência da Jet Airways afirmou que a data limite para submeter uma EOI – Expressão de Interesse, foi estendida para até próximo sábado.

A indiana Jet Airways faliu após sofrer com uma crise interna causada pela expansão exagerada da empresa, somada ao dólar alto, concorrência crescente das low-costs e crise na sua principal investidora: a Etihad Airways.

Em abril, a Jet encerrou suas operações, sendo que alguns jatos Boeing 737-800 foram para a GOL, para cobrir o “gap” deixado pela paralisação do 737 MAX.

O Synergy submeteu sua expressão de interesse após a data limite, que foi dia 10 de agosto. Apesar de não serem lances ou conterem valores, as EOIs são necessárias para participação num futuro leilão ou venda.

Até o dia 10, três EOIs tinham sido recebidas: uma da Volcan Investiments, do bilionário indiano Anil Agarwals, do setor de mineração; outra do fundo de investimento panamenho do setor de engenharia, o Avantulo Group; e uma última do fundo russo Treasury RA Creator.

Logo após, a Volcan desistiu do negócio e a Avantulo não foi qualificada pelos credores, sobrando apenas o fundo russo. Porém, poucos acreditam que a companhia possa ser levantada novamente.

“É muito díficil ter algum valor sobrando na companhia, seus talentos saíram após o fim das operações. No momento, o único ativo da companhia que os compradores poderiam conseguir são slots em grandes aeroportos, uma participação no programa de fidelidade e alguns aviões” disse a fonte envolvida no processo.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos