Com El Palomar fechado, Flybondi e JetSmart terão voos para Ezeiza

A companhia aérea Argentina ultra low cost Flybondi enviou um comunicado informando que no próximo dia 04 de novembro, a partir das 20h00, o aeroporto El Palomar (EPA) será fechado para obras de manutenção em sua única pista.

Aeroporto El Palomar Argentina
Aeroporto El Palomar

Durante as obras, todos os voos da Flybondi serão transferidos para o Aeroporto Internacional de Ezeiza, e os passageiros afetados serão notificados por e-mails e SMS. Também será possível consultar a situação através do site da companhia (www.flybondi.com) informando o nome e o código de reserva.

No último dia 12 de outubro, a low cost argentina iniciou suas operações para a capital carioca, tornando-se a única companhia aérea de baixo custo a unir Rio de Janeiro e Buenos Aires. A operação conta com quatro frequências semanais.

Avião Boeing 737 Flybondi

A outra low cost que opera no aeroporto El Palomar, a JetSmart, também irá transferir seus voos para Ezeiza. A companhia aérea está orientando seus passageiros através do site www.jetsmart.com com informações e uma série de instruções com um mapa de como chegar a Ezeiza. No momento da pesquisa por passagens no período das obras, os resultados indicam: “Debido al cierre del Aeropuerto El Palomar, este vuelo operará en el Aeropuerto Ezeiza.”

Segundo a concessionaria Aeroportos 2000, o período da intervenção de manutenção no aeroporto El Palomar será do dia 04 até o dia 07 de novembro.

Conhecendo o aeroporto El Palomar

Localizado a cerca de 18 km a oeste do centro de Buenos Aires, o aeroporto El Palomar servia apenas como base da 1ª Brigada Aérea da Força Aérea Argentina, a principal unidade de transporte militar do país, sendo considerado o terceiro aeroporto metropolitano de Buenos Aires.

Mas em 2018, após ter parte de suas operações assumidas pela concessionária Aeroportos 2000, El Palomar tornou-se o primeiro e único aeroporto totalmente low-cost da América Latina. Hoje opera exclusivamente com companhias aéreas de baixo custo e o governo argentino investirá um total de US$ 1,6 milhão em obras para melhorarias do aeroporto.

O local possui serviços mais básicos do que os aeroportos tradicionais, permitindo a redução dos custos operacionais das companhias aéreas entre 40% e 50%. Por exemplo, não há ponte de embarque (fingers), serviços de reboque (pushback) para as aeronaves e prestadores de catering (que levam os carrinhos com lanches até as aeronaves, por exemplo).

Entenda um pouco mais sobre esse modelo diferenciado de aeroporto visitando conosco o El Palomar e as operações da Flybondi:

Luis Neves

É agente de turismo e acompanha a evolução da aviação brasileira desde o final da década de 80. Fotografa tudo o que voa e tem uma das maiores coleções de fotos de aviação do Brasil.