Em comunicado interno, mineradora diz que cancelou contrato com a MAP “por falta de segurança”

Em um comunicado interno datado de 2 de outubro de 2019 e intitulado “comunicado importante sobre segurança na aviação”, a empresa Mineração Rio do Norte, com sede em Oriximiná/PA e planta na cidade de Porto Trombetas/PA, informou aos seus funcionários que suspendeu a utilização da MAP como alternativa de transporte aéreo para entrada e saídas da região.

MAP

A empresa conclui que a decisão visa preservar a segurança de colaboradores, familiares e da comunidade. Sem entrar em detalhes, o comunicado, cuja íntegra você vê abaixo, diz que “tal decisão reflete os últimos acontecimentos em diversos voos e datas, alguns deles envolvendo as rotas que atendem a Mineração Rio do Norte”.

Dez dias depois, em 10 de outubro, a mineradora emitiu outro informe (abaixo), em que confirma o fechamento de um acordo com a Total Linhas Aéreas, para a realização das ligações aéreas na região, com voos Às quartas, quinta, sextas, sábados e domingos, ligando Trombetas a Manaus. Consultamos o site da ANAC e os dados batem com os pedidos feitos pela Total para reserva dos slots.

MAP alegou que cancelou voos por aeroportos precários. Infraero retrucou no mesmo dia

No dia 15 e outubro, a MAP emitiu uma nota em que informou estar suspendendo temporariamente as operações nas cidades de Porto Trombetas/PA, Coari/AM, Tefé/AM e Eirunepé/AM, a partir de 21 de outubro. Segundo a empresa, a medida foi necessária até que sejam realizadas as adequações dos referidos aeroportos quanto a requisitos operacionais exigidos, sem dar detalhes do que estaria inadequado.

No mesmo dia, a Infraero, que administra o aeroporto de Tefé, emitiu o seguinte comunicado à imprensa, esquentando a conversa: “A Infraero esclarece que o Aeroporto de Tefé está homologado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e atende a todos os critérios de segurança para receber operações comerciais de aeronaves como o ATR-42, ATR-72 e o Embraer E195 – os mesmos utilizados pelas companhias aéreas que atualmente operam no aeroporto, Azul e MAP. Dessa maneira, a decisão de suspender operações nesse aeroporto, administrado pela Infraero, compete exclusivamente à empresa aérea em questão, visto que a estrutura existente está de acordo com as normas operacionais e de segurança do órgão regulador”.

Por outro lado, os demais aeroportos são administrado pelos governos locais e o aeroporto de Porto Trombetas é concedido à MRN. Especificamente para o aeroporto de Oriximiná, o Governo Federal havia informado que iniciaria obras para revitalizar o terminal, como mostra essa matéria do G1.

Ao mesmo tempo, o aeroporto de Porto Trombetas, que é administrado pela MRN encontra-se plenamente operacional.

Pedido de reservas da Total na ANAC

Em resumo

A história da mineradora é uma questão muito peculiar, sobretudo pela falta de informações. No entanto, apesar de a Map sugerir que obras sejam necessárias em Porto Trombetas, é interessante notar o fato da Total Linhas Aéreas, empresa tradicional e com bom histórico entrar num aeroporto que estaria precário, segundo a MAP.

Recentemente, reportamos a preocupante notícia de que uma aeronave da MAP teria sofrido um incidente relacionado com a má-escolha do aeroporto de alternativa para um voo que não conseguiu chegar a seu destino, resultando em uma pane-seca. Confira o caso na matéria a seguir: