Início Indústria Aeronáutica Embraer apresenta nova aeronave turboélice para 70 a 90 passageiros

Embraer apresenta nova aeronave turboélice para 70 a 90 passageiros

Junto com a divulgação de seus resultados, a Embraer aproveitou para fornecer atualizações de vários projetos que vem conduzindo. Dentro desse rol de inovação da fabricante brasileira, estão os futuros aviões turboélice, nos quais a empresa já disse que está sua prioridade de investimento. Um novo conceito, que pode vir a ser o final, foi apresentado hoje, no qual os motores deixariam de estar apoiados nas asas, passando para a parte traseira da fuselagem.

“Nossa proposta é oferecer um turboélice de alta tecnologia, de 70 a 90 assentos, com a mesma seção transversal dos E-Jets. Muito confortável, sem assentos do meio e compartimentos superiores espaçosos”, disse Luis Carlos Affonso, vice-presidente sênior de Engenharia, Desenvolvimento de Tecnologia e Estratégia da Embraer. “Com essas características, esta aeronave substituirá os atuais jatos regionais de 50 assentos em mercados muito importantes”

O desenho espera também ganhos de performance, com 20% menos emissões e menores custos operacionais.

Lançamento

Esse projeto, que é um dos mais esperados pelo mercado da aviação civil, poderá ser lançado já em 2022. Ainda sem nome, mas com foco de pegar sua fatia num mercado hoje dominado pela francesa ATR e pela canadense Dash, o novo projeto da Embraer começou a tomar forma no final do ano passado e, desde então, a empresa tem falado oficialmente no assunto.

Em uma atualização recente, o CEO da Embraer Aviação Comercial, Arjan Meijer, afirmou à FlightGlobal que a empresa “está muito focada no segmento (de turboélices) e que espera lançar o programa em 2022”.

A aeronave dará início a um novo momento e foco para a Embraer: os aviões turboélices, que foi de onde a empresa nasceu. “Nós selecionamos os turboélices como plataformas para o futuro, que nos permite ter soluções mais sustentáveis”, afirma Meijer.

Um dos planos da Embraer é começar a oferecer motores híbridos, para futuramente migrar para algo totalmente elétrico ou até por hidrogênio, seja no avião militar ou civil.

Ainda segundo Meijer, a fabricante está conversando com diversos parceiros do projeto e avançando nas negociações, e espera que o novo turboélice civil entre em serviço em torno de 2027 ou 2028.