Início Indústria Aeronáutica Embraer avalia conversão permanente de E-Jet de passageiros para carga

Embraer avalia conversão permanente de E-Jet de passageiros para carga

Após a Azul adaptar alguns de seus jatos E195-E1 de passageiros para carga, a Embraer estuda fazer o mesmo, convertendo em um programa oficial.

Segundo o Airfinance Journal, especialista no mercado financeiro, a Embraer está estudando lançar no mercado um programa de conversão de passageiros para carga de suas aeronaves a jato. Tal ideia iria além da adaptação dos E-Jets para cargueiros, mediante a remoção dos assentos, mas sim na conversão propriamente dita dos jatos, com a instalação de uma porta de carga.

Atualmente, apenas os turboélices E120 Brasília foram convertidos permanentemente para carga, operando de maneira limitada em poucas empresas aéreas, como a Swiftair, da Espanha, e na americana Everts Air Cargo.

“O programa de conversão dos E190 é independente do que a Azul fez com os seus E195. A ideia é aumentar a solução de longo prazo para estas frotas, vindo da própria fábrica”, teria dito a fonte ao Leeham News.

A solução da Azul é independente e foi feita pelo seu próprio departamento de engenharia, sendo acompanhada pela Embraer, que deu apoio técnico e criou um manual para outros operadores que desejassem fazer o mesmo. A companhia brasileira pretende chegar no ano que vem com até 10 aviões E195-E1 convertidos, a depender da demanda.

Embraer Brasília cargueiro – Foto de Alex Beltyukov via Wikimedia

Os custos de aquisição de jatos da Embraer caíram na pandemia, chegando a $8 milhões de dólares para aquisição de um E190 de primeira geração, na fase de meia-vida, segundo a Leeham. O único ponto é que o avião mais desejado é o E195, que é maior que o E190, porém foi menos produzido e tem menos disponibilidade no mercado hoje.

Segundo a fonte, o E190/195 cargueiro se posicionaria entre o ATR-72 e o Boeing 737-300, exatamente onde está no mercado comercial de passageiros. O nicho de mercado seria a substituição de aviões convertidos e mais velhos, como o quadrijato BAe-146, o 737-200 e o Douglas DC-9. A Embraer não quis comentar o caso oficialmente, mas a fonte apontou que uma decisão deve ser feita ainda neste mês de dezembro.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A