Embraer divulga os resultados do 3T20 com fraco desempenho na aviação comercial

Avião Embraer E190-E2 Shark Profit Hunter
E190-E2 “Shark”, #ProfitHunter – Imagem: Embraer

A fabricante brasileira de aeronaves Embraer divulgou seus resultados trimestrais na manhã desta terça-feira, 10 de novembro. As informações operacionais e financeiras da Empresa, exceto quando de outra forma indicadas, são apresentadas com base em números consolidados de acordo com as normas contábeis IFRS (International Financial Reporting Standards) e em Reais.

Na comparação entre o 3T20 e o 3T19, o Dólar norte-americano médio teve uma apreciação de 36% em relação ao Real brasileiro, impactando os resultados e despesas apresentados. No 3T20, a empresa apresentou Prejuízo líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos e itens especiais) de R$ 797,5 milhões e Prejuízo por ação ajustado de R$ 1,08.

Excluindo-se os itens especiais, o EBIT1 e EBITDA² ajustados foram de R$ (239,5) milhões e R$ (40,7) milhões, respectivamente, levando a margens de -5,9% e -1,0%, respectivamente, tendo sido impactados negativamente pelo fraco resultado da Aviação Comercial.

Entregas e receita

Durante o 3T20, a Embraer entregou sete jatos comerciais e 21 jatos executivos (19 jatos leves e dois jatos grandes), totalizando 28 jatos entregues no período. Isso se compara a um total de 44 jatos entregues no 3T19, sendo 17 jatos comerciais e 27 jatos executivos (15 jatos leves e 12 jatos grandes).

No acumulado do ano em 2020, a empresa entregou 16 jatos comerciais e 43 jatos executivos (33 jatos leves e 10 jatos grandes), o que se compara aos 54 jatos comerciais e 63 jatos executivos entregues durante os primeiros nove meses de 2019. As entregas da Embraer em 2020 estão sendo impactadas negativamente, principalmente devido à pandemia Covid-19, que continua afetando o mundo e especialmente as viagens aéreas comerciais.

A companhia espera que as entregas do 4T20 continuem melhorando em relação aos três primeiros trimestres do ano, principalmente no segmento de Aviação Executiva, que normalmente apresenta um alto nível de sazonalidade com grande parte das entregas anuais ocorrendo no quarto trimestre.

No 3T20, a Receita líquida teve queda de 13% em relação ao 3T19 e ficou em R$ 4.090,5 milhões, principalmente em função das já mencionadas quedas nas entregas da Aviação Executiva e especialmente da Aviação Comercial.

Essa queda foi parcialmente compensada pelo aumento de 106% (na comparação entre o 3T20 e 3T19) das receitas de Defesa & Segurança no 3T20, que foram impactadas no primeiro semestre do ano já que, algumas entregas foram postergadas em função das restrições de viagens impostas pela Covid-19 como o fechamento de fronteiras de alguns países clientes. No acumulado do ano, as receitas da Embraer foram de R$ 9.829,8 milhões em comparação aos R$ 13.216,6 milhões reportados no mesmo período do ano passado, com a maior queda ocorrendo principalmente no segmento de Aviação Comercial.

Notas

Devido à incerteza relacionada à pandemia da COVID-19, as estimativas financeiras e de entregas da Empresa para 2020 permanecem suspensas neste momento.

1 EBIT corresponde ao resultado operacional.

2 EBITDA corresponde ao resultado operacional acrescido da depreciação e amortização.

3 Prejuízo líquido ajustado não é um parâmetro contábil e exclui o Imposto de renda e contribuição social diferidos no período. No IFRS, o Imposto de renda e contribuição social inclui uma parcela de impostos diferidos que resultam principalmente de ganhos não realizados provenientes dos impactos da variação cambial sobre os ativos não monetários (em especial Estoques, Imobilizado e Intangível). Os impostos resultantes de ganhos ou perdas em ativos não monetários são considerados impostos diferidos e contabilizados no Fluxo de Caixa consolidado sob a conta Imposto de renda e contribuição social diferidos. O Prejuízo líquido ajustado também exclui o impacto pós-imposto da provisão relacionada a itens especiais. 

O relatório completo está disponível no link: https://ri.embraer.com.br/

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias