Embraer explica a tecnologia que deixou peças dos aviões E2 até 40% mais leves

Avião Embraer E195-E2 Profit Hunter
Embraer 195-E2 – Imagem: Matti Blume / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Graças aos avanços na Manufatura Aditiva (AM, na sigla em inglês), muitas peças da nova geração de aviões E-Jets E2 da Embraer agora pesam até 40% menos.

Segundo a fabricante brasileira, o processo, no qual os dados do projeto 3D são usados ​​para programar impressoras sofisticadas, aplica camadas de material para criar peças mais leves e sustentáveis. A empresa utiliza a AM para construir, por exemplo, peças de plástico encontradas no interior dos E-Jets E2s.

O Termoplástico AM foi empregado no início do programa E2. Ele substituiu o processo demorado e manual que era utilizado para preparação e usinagem de peças e ferramentas, respectivamente. Hoje, essas mesmas peças levam 50% menos tempo de produção, geram 65% menos resíduos e evitam o contato de compostos orgânicos voláteis com os funcionários. O resultado é uma peça melhor, mais leve e mais sustentável, que custa menos e requer menos tempo de fabricação.

A AM é usada para construir 37 tipos de peças internas nos E2s. Isso inclui grades de ar condicionado, unidades de proteção de sistemas, flanges do sistema de sucção dos lavatórios e dutos de ar, bem como itens de ferramentas e gabaritos. A Embraer também usa a AM para testar peças de prova de conceito, desde conjuntos de porta-copos até bordos de ataque das partes aerodinâmicas.

“No ano passado, produzimos mais de 1.800 peças por AM para o programa E2. Nossos engenheiros já estão trabalhando para criar peças de metal por meio do mesmo processo de AM. Seus estudos identificaram alguns componentes de metal impressionantes para aeronaves, onde a AM pode gerar economias de tempo, peso, custo e meio ambiente semelhantes às de materiais termoplásticos. Na verdade, os benefícios podem ser ainda maiores”, descreve a fabricante.

As aplicações potenciais da AM são enormes. A Embraer está avaliando sua eficácia em uma ampla gama de itens: fuselagem; sistemas hidráulicos, elétricos e de ar condicionado; trem de pouso; interior; protótipo funcional e ferramentas, apenas para citar alguns.

“A manufatura aditiva é apenas mais uma ferramenta que nos ajuda a tornar nossos E2s os aviões mais ecologicamente corretos do mercado”, finaliza a Embraer.

Veja a seguir um vídeo mostrando exemplos e explicando um pouco mais sobre a manufatura aditiva:

Informações da Embraer (exceto o vídeo)

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias