FAB apresenta nova aeronave militar híbrida com quatro motores

A Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou hoje, 13 de novembro, imagens do seu novo avião, que será feito em parceira com a Embraer, com o nome de STOUT.

A sigla STOUT é para Short Take-Off Utility Transport, que traduzida para o português brasileiro fica como Aeronave Utilitária de Transporte com Decolagem Curta. Provavelmente, este é apenas o nome do projeto, assim como o do KC-390 era KC-X e o do Gripen era o FX-2.

A designação oficial não foi informada ainda, mas alguns dados interessantes foram divulgados pela força durante o Seminário Nacional de Defesa, realizado na Escola Superior de Guerra do Exército. O projeto foi apresentado pelo Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB).

Segundo o oficial, o projeto “visa substituir as aeronaves C-95 Bandeirante e C-97 Brasília, sendo que o novo vetor levará em consideração diversas necessidades, como transporte de carga e pessoal em áreas de selva, transporte de paraquedistas, carregamento de pallets”.

Como adiantamos em outubro, a propulsão da aeronave será híbrida, com motores turboélices e elétricos. Levando em consideração o design apresentado hoje, os motores mais próximos da fuselagem serão turboélices e os dois externos, nas pontas das asas, serão elétricos. Dentre os detalhes oficiais divulgados estão:

  • Dimensões similares ao C-97 Brasília (E120);
  • Alcance de 2.452km (1.310 milhas náuticas) carregado com 3 toneladas;
  • Capacidade de operação em pistas curtas e não pavimentadas;
  • Porta traseira com rampa para embarque de veículos, pallets e utilização por paraquedistas ou lançamento de carga em voo;
  • Capacidade de transporte de 30 soldados ou 24 paraquedistas;
  • Pode ser configurada internamente para transporte de pessoal e VIP, como é feito hoje pelo C-97 Bandeirante.

Mais detalhes devem surgir com o passar das semanas. A Embraer entrou em contato e falou sobre este novo avião, confira a nota:

Trata-se do resultado de um estudo desenvolvido pela Embraer, junto à Força Aérea Brasileira, aliando a excelência técnica da empresa e a experiência operacional de diversos pilotos de transporte da FAB, nos termos estabelecidos no Memorando de Entendimento (MoU), assinado em dezembro de 2019, cujo objetivo foi a concepção de uma nova aeronave leve de transporte militar que atenda as demandas das Forças Armadas brasileiras.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Antonov An-124

Antonov 124 arrasta a cauda na pista durante o pouso

0
O segundo maior cargueiro do mundo estava chegando de um voo e, ao tocar a pista do aeroporto, sofreu um contato de cauda com o solo.