Embraer reporta Prejuízo líquido de R$ 1,27 bilhão no 1º Trimestre de 2020

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Embraer reportou hoje os principais indicadores financeiros relativos ao 1º Trimestre do ano (1T20), período de janeiro a março de 2020, e os números mostram que a fabricante brasileira teve um Prejuízo líquido de R$ 1,27 bilhão, enquanto o Prejuízo líquido ajustado foi de R$ 433 milhões.

Avião Embraer 195 E2

Apesar do Prejuízo líquido chamar a atenção, a companhia destaca que esse 1º Trimestre foi impactado por itens especiais devido aos impactos da COVID-19, como: perda de R$ 108,6 milhões em variações negativas no valor da participação da Embraer na Republic Airways Holdings; e R$ 163,1 milhões em provisão para devedores duvidosos nas contas a receber.

Assim, diante dos ajustes referentes a itens como estes acima e a alguns outros fatores, a fabricante informa que o Prejuízo líquido ajustado no Trimestre resultou nos R$ 433,6 milhões, enquanto o anterior de 2019 havia sido de R$ 229,9 milhões.

A empresa informa ainda que sua liquidez, ou seja, tudo que possui que pode ser transformado em dinheiro para o pagamento de custos e dívidas, estava em R$ 12,99 bilhões no encerramento do Trimestre, enquanto sua dívida era de R$ 19,92 bilhões.

A maior parte dessa dívida, entretanto, tem vencimentos apenas a partir de 2022, enquanto no curto prazo a dívida líquida é de R$ 6,92 bilhões, ou seja, há alguma margem de tempo para que o mercado possa se recuperar antes da maior parte da liquidez precisar ser usada para o pagamento das dívidas.

Veja a seguir em detalhes as informações apresentadas hoje pela Embraer.

  • No 1T20, a Embraer entregou cinco aeronaves comerciais e nove executivas (cinco jatos leves e quatro grandes) e sua carteira de pedidos firmes (backlog) alcançou US$ 15,9 bilhões;
  • Os resultados do 1T20 incluem itens especiais devido aos impactos da COVID-19: 1) R$ 108,6 milhões em variações negativas no valor da participação da Embraer na Republic Airways Holdings e; 2) R$ 163,1 milhões em provisão para devedores duvidosos nas contas a receber, uma vez que a Empresa adotou uma abordagem mais conservadora no contexto da pandemia da COVID-19;
  • No 1T20, a Embraer apresentou Prejuízo líquido de R$ 1.276,5 milhões e Prejuízo por ação de R$ 1,73. O Prejuízo líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos e itens especiais) foi de R$ 433,6 milhões e o Prejuízo por ação ajustado ficou em R$ 0,59. No 1T19, a Embraer reportou um Prejuízo líquido ajustado de R$ 229,9 milhões e um Prejuízo por ação ajustado de R$ 1,25;
  • No 1T20, a Embraer reportou um Uso livre de caixa ajustado de R$ 2.898,8 milhões, em linha com o Uso livre de caixa ajustado de R$ 2.495,1 milhões reportado no 1T19, que é historicamente negativo nos primeiros trimestres devido ao consumo sazonal de capital de giro;

  • A liquidez da Companhia permanece sólida e fechou o 1T20 com um caixa de R$ 12.999,7 milhões. A dívida era de R$ 19.922,9 milhões, sendo que grande parte desta com vencimento a partir de 2022, perfazendo uma dívida líquida de R$ 6.923,2 milhões, comparada à dívida líquida de R$ 4.300,7 milhões ao final do 1T19. A Embraer continua avaliando financiamentos adicionais para melhorar ainda mais sua posição de caixa;
  • Devido à incerteza relacionada à pandemia da COVID-19, as estimativas financeiras e de entregas da Empresa para 2020 permanecem suspensas neste momento.

Informações pela Embraer

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Salvador terá voos para todas as regiões do Brasil na alta...

0
Salvador terá um dos verões mais conectados da última década. A partir de 18 de dezembro, a cidade baiana terá voos diretos para todas