Emirates celebra 35 anos do 1º voo, que contou com um Airbus e piloto emprestados

A Emirates Airline celebra hoje, 25 de outubro de 2020, 35 anos do seu primeiro voo, que foi realizado com um Airbus A300 alugado de outra empresa aérea, a qual também cedeu seus pilotos.

Airbus A300 da Emirates em Zurique – Foto de AeroIcarus via Wikimedia

A Emirates possui uma reconhecida dívida de gratidão com a Pakistan International Airlines (PIA). Tudo aconteceu no dia 25 de outubro de 1985, quando o voo EK600 decolou de Dubai para Karachi, capital do Paquistão. O voo era comandado por Fazle Ghani Mian, piloto da PIA, que também cedera o avião assim como todo o restante da tripulação, para a Emirates começar suas operações.

Junto do Airbus A300 B4, veio um Boeing 737-300, também alugado da PIA. Esses seriam os primeiros passos da gigante empresa aérea global que conhecemos hoje e que possui a maior frota do maior avião comercial de passageiros do mundo, o A380.

“Eu vim para Dubai no dia 1º de outubro de 1985 e encontrei com o Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum (fundador da Emirates). Nós discutimos o que viria a seguir e como iríamos prosseguir. No dia 18, um grupo de 100 pilotos, engenheiros, mecânicos e outros funcionários da PIA vieram para Dubai para iniciar este primeiro estágio e começamos a fazer voos de teste. Também tínhamos a tarefa de treinar os pilotos nascidos nos Emirados, que obtinham suas licenças da Agência de Aviação do Paquistão”, relembra Fazle Ghani, que conta mais detalhes no vídeo acima (em inglês).

O comandante que esteve a cargo das operações iniciais lembra dos quepes muito grandes para os pilotos: “Alguns dos quepes eram muito grandes e os pilotos pareciam engraçados com eles, mas foi um detalhe mínimo, nós preparamos o avião e decolamos no horário, o que já era um grande sinal para a empresa”, afirmou.

Boeing 737-400 e Airbus A300 no 1º voo da empresa | Divulgação – Emirates

Dois anos depois, a Emirates recebeu o seu primeiro avião próprio, um A310 novo de fábrica. Até 1990 foram 14 destinos, incluindo o primeiro na Europa, Frankfurt, e as Maldivas com voos para Malé.

Nos anos 90, a empresa começou a trazer diversas inovações: foi a primeira a colocar sistema de entretenimento individual em todas as classes, sem restrições. Também foi a primeira a permitir ligações em voos no Airbus, assim como uma central de fax, algo inédito na época. De lá para cá a empresa também operou os jatos Boeing 727, Airbus A330-200, A340-300, A340-500, além do 747-400F para sua divisão cargueira.

Mas o destaque fica para os dias de hoje e sua presença global. Em frota, aqueles dois aviões emprestados tornaram-se num conjunto de aviões modernos e novos, com muitos mais encomendados. É da Emirates o maior pedido do Boeing 777, com 42 unidades numa só encomenda, e também foi a primeira a encomendar o gigante Airbus A380 dos quais possui 115 unidades e mais oito a receber. Do Boeing 777, por sua vez, é a maior operadora, com 152 unidades.

Por outro lado, a PIA não avançou na mesma velocidade. Hoje tem apenas 31 aviões, uma folha de pagamentos inchada e passa por sua pior crise após um acidente fatal revelar treinamento falho e esquema de fraude em licenças de pilotos. Tudo isso em meio à pior crise da aviação causada pelo Coronavírus:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias