Emirates e Etihad estão totalmente no chão; todos os voos estão cancelados

A Emirates Airline e a Etihad, com sedes em Dubai e Abu Dhabi, respectivamente, terão que suspender todos os voos de passageiros a partir de 25 de março. A medida segue uma ordem dada pelo governo dos Emirados Árabes, que decidiu aplicar uma suspensão de voos imediata em todo o território.

Avião A380 Emirates

A proibição imposta pelo governo emiradense terá duração de, pelo menos, duas semanas. Essa era uma decisão prevista, mas não tinha data para começar. No entanto, com a escalada dos novos casos de Covid-19, os Sheikhs que comandam o país optaram por antecipar a medida com efeito imediato, pegando muita gente de surpresa.

Com isso, todas as aeronaves das companhias aéreas dos Emirados Árabes Unidos, incluindo Emirates, Etihad, Air Arabia e flydubai, poderão retornar ao país, mas não poderão sair novamente pelos próximos quinze dias (portanto, ao longo do dia de hoje, ainda será possível ver algum voo das empresas no ar, retornando às suas bases operacionais).

A Emirates emitiu uma declaração em que diz que “essas medidas são tomadas para a proteção das comunidades contra a propagação do COVID-19”. A comunicação da empresa também diz estar ansiosa para retomar os serviços de passageiros o mais rápido possível. Além da declaração, o Emirates Group declarou que a suspensão não reduzirá empregos, mas implementará uma redução temporária no salário-base da maioria dos funcionários por dois meses, com cortes que variam de 25% a 50%.

Etihad 787-9 Dreamliner Manchester City

Por sua vez, Tony Douglas, CEO da Etihad, declarou em comunicação da empresa: “Esses são tempos sem precedentes e decisões sem precedentes estão sendo tomadas por governos, autoridades e empresas, incluindo a Etihad, para conter a disseminação do coronavírus e ajudar a minimizar seus efeitos em todo o mundo”.

Atualmente, os Emirados Árabes Unidos têm um total de 300 casos da Covid-19, muitos dos quais vieram de pessoas que estavam no exterior ou tiveram contato com aqueles que estavam no exterior. O país viu 50 novos casos em 23 de março, o que o levou a suspender suas companhias aéreas e proibir as viagens, na esperança de reduzir drasticamente a propagação do vírus.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

Comentários estão fechados.