Emirates quer criar bolhas de viagem com países onde a COVID está controlada

Com os aeroportos dos Emirados Árabes Unidos reabrindo para voos de trânsito e as notícias de que os residentes poderão viajar para o exterior a partir de 23 de junho, empresas como a Emirates procuram formas de viabilizar os sonhos de viagem.

Uma das alternativas propostas pela empresa árabe é a criação de uma espécie de bolha entre os Emirados e alguns países, onde seriam realizadas “pontes aéreas” livres de COVID. Ou seja, ligações de apenas algumas cidades europeias, por exemplo, com Dubai e conexões para outras cidades selecionadas ao redor do mundo, em locais onde a pandemia está mais controlada.

De acordo com o Arabian Business, Adel Al Redha, COO da Emirates, disse em uma entrevista recente que “a construção de pontes aéreas entre cidades é muito importante e atualmente é útil. Com acordos sobre determinadas medidas, poderia ser feito para permitir que cidadãos e residentes dos dois países entrassem e saíssem sem serem colocados em quarentena. Iniciamos conversas com alguns países e algumas cidades da Europa para operar alguns desses voos”.

As pontes aéreas permitem que os viajantes circulem livremente entre dois ou mais países sem ter que se auto-isolar ou colocar em quarentena na chegada. Movimento parecido está sendo criado entre Austrália e Nova Zelândia, por exemplo. A Emirates seria a primeira companhia aérea a criar uma bolha entre continentes. 

O Brasil ainda não tem a epidemia controlada e, portanto, ainda é incerto como ficará sua posição nessa ou em futura bolhas globais e regionais.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Com 44 passageiros, pouso de A220 sob nevasca termina em ‘runway...

0
O voo comercial terminou no incidente de "runway excursion" nesta sexta-feira, 3 de dezembro, durante pouso sob nevasca.