Emirates rechaça ‘fake news’ de piloto punido por se recusar a voar para Israel

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A companhia aérea Emirates foi colocada em meio a uma polêmica na semana passada, e negou que tenha punido um piloto tunisiano depois de ele ter se recusado a comandar voos para Israel. Lembrando que a empresa árabe deve iniciar operações regulares para Tel Aviv ainda no mês de fevereiro.

Tudo começou quando um homem, chamado Moneem Saheb Tabaa, publicou em suas redes sociais uma reclamação de que teria sido suspenso do cargo de piloto da Emirates após se negar a voar para Israel como parte da política de aproximação entre os dois países. A mensagem no Facebook dizia: “Hoje, fui suspenso do meu trabalho como piloto na Emirates Airline por me recusar a voar para Tel Aviv. Deus é único que cuida de mim… não me arrependo”.

A postagem de Tabaa viralizou e muitos ativistas da causa palestina denunciaram a Emirates e elogiaram o suposto piloto por sua postura desafiadora ao se opor aos acordos de normalização entre Israel e vários estados árabes. O caso foi notícia em muitos jornais e canais em língua árabe como o Al Arabiya e foi mencionada até por políticos da Tunísia como caso de perseguição ideológica. Tabaa se identificou como tunisiano.

O presidente da Tunísia, Kais Saied, já disse que não pretende seguir o exemplo de Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Sudão e Marrocos, que estão em processo de normalização diplomática com os israelenses. O ponto de divergência é o tratamento dado por Israel aos territórios palestinos, que reivindicam soberania sobre aérea, atualmente sobre controle relativo de Israel.

Também em redes sociais, a Emirates disse que a denúncia é falsa e negou que Tabaa tenha sido funcionário da empresa. “A Emirates nunca contratou nenhum piloto com este nome e todos os relatos que circulam nas redes sociais sobre isso são falsos”, declarou a companhia.  

Com a repercussão do caso, o perfil do suposto piloto foi desativado no Facebook, mas não se sabe se foi uma decisão da rede social ou do próprio envolvido.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias

Avião Airbus A319 Avianca

Após 4 anos, Avianca recontrata cerca de 100 pilotos que participaram...

0
A Avianca chegou a um acordo com seus pilotos para a reintegração progressiva de cerca de 100 aviadores que deixaram a empresa em 2017.