Emirates reduz compra do Boeing 777X ao transformar um 30 unidades do 787-9

A Boeing e a Emirates anunciaram hoje que finalizaram um contrato de compra de 30 aviões 787-9 Dreamliner, avaliados em US$ 8,8 bilhões, de acordo com os preços de tabela, mas o acordo representa uma perda para o novo projeto 777X da fabricante norte-americana.

Avião Boeing 787-9 Emirates
Concepção artística do 787-9 da Emirates – Imagem: Boeing

O acordo, assinado no Dubai Airshow, culmina as discussões entre as duas empresas sobre o melhor modelo 787 Dreamliner para atender aos requisitos de uma das principais companhias aéreas do mundo.

A Emirates havia assinado anteriormente um contrato inicial para 40 unidades da variante maior, o 787-10. Agora, ao selecionar oficialmente o intermediário 787-9, a Emirates adiciona um avião de porte médio para complementar sua futura frota de 777.

O Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum , Presidente e CEO da Emirates, disse: “Tenho o prazer de anunciar um pedido firme para 30 Boeing Dreamliners. Este é um investimento importante e uma adição à nossa frota futura. Os 787 complementarão nosso mix de frotas, expandindo nossa flexibilidade operacional em termos de capacidade, alcance e implantação.

Ótimo para o 787, ruim para o 777X

A Boeing tinha o desafio de transformar em encomendas firmes as 40 intenções de compra do modelo 787-10, assinadas anteriormente pela empresa árabe. Mas, o resultado não foi dos melhores.

Como parte do contrato, a Emirates atualizará sua grande carteira de pedidos exercendo direitos de substituição ao converter 30 aviões 777X em 30 aviões 787-9. Anteriormente, os planos eram de 40 aviões 787 e 156 777X.

Apesar da redução de encomendas do maior bimotor comercial do mundo, com essa conversão a Emirates ainda continua sendo o maior cliente do 777X do mundo, com 126 aviões encomendados, e o maior operador do 777, com 155 aviões atualmente.

“Estamos empolgados em finalizar este importante pedido de uma das principais companhias aéreas do mundo. Nosso contrato solidifica o plano da Emirates de operar o 787 Dreamliner e o 777X”, disse o Presidente e CEO de aviões comerciais da Boeing, Stan Deal.

Reduções também nas encomendas com a Airbus

Avião Emirates Airbus A350-900
Concepção artística do A350-900 da Emirates – Imagem: Airbus

A Emirates anunciou na terça-feira, 18 de novembro, também durante o Dubai Airshow, que confirmou um pedido para 50 aeronaves da fabricante europeia Airbus, em um contrato que atinge o valor de US$16 bilhões de dólares.

As 50 aeronaves são todas do modelo A350-900 XWB, que estarão equipados com motores Rolls-Royce Trent XWB, e a entrega do primeiro A350 da Emirates está prevista para maio de 2023 e continuará até 2028.

Mas este contrato de compra também representou uma redução para a Airbus, pois substituiu as intenções assinadas em fevereiro, onde a Emirates anunciou seu interesse de comprar 70 aeronaves, sendo 30 unidades do A350 e outras 40 do A330neo. A companhia abandonou o A330neo e aglutinou tudo em um pedido menor de 50 aviões A350.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Piloto leva personalidade feminina ao cockpit, faz vídeo e recebe suspensão

0
A personalidade do vídeo tem 4,8 milhões de seguidores em seu perfil no Instagram, no qual descreve que trabalhar como distribuidora de conteúdo de mídia.