Emirates testará suas tripulações para o coronavírus de um jeito diferente

A Emirates não testará mais rotineiramente seus pilotos e a tripulação de cabine para o novo coronavírus. Ao invés disso, a aérea passará a empregar um sistema de triagem térmica e testes PCR em seus tripulantes.

Tripulação Emirates

De acordo com a própria empresa aérea, a Emirates gradualmente irá passar a empregar nas suas tripulações, um sistema de triagem térmica e testes PCR (Polymerase Chain Reaction, em português Reação em Cadeia da Polimerase), considerado um dos principais testes para identificar a presença do novo coronavírus no organismo.

A mudança de política ocorre quando a companhia aérea, com sede em Dubai, começa a acelerar seu programa de retomada dos voos. Na última segunda-feira (15), dezesseis novas cidades se juntaram à sua malha aérea de destinos pós-pandemia. Hoje, conforme divulgado aqui, a Emirates anunciou que oferecerá voos regulares para viajantes em mais 10 cidades, elevando o total de destinos para 40.

A aérea introduziu, pela primeira vez, testes em massa para detecção do novo coronavírus, para pilotos e tripulação de cabine no final de março, exigindo que cada membro da tripulação se submetesse a um teste quando chegasse a Dubai, depois de operar um voo.

Também se esperava que os membros da tripulação se colocassem em quarentena por duas semanas, embora nas últimas semanas Dubai e os Emirados Árabes Unidos tenham adotado medidas para aliviar as restrições de bloqueio voltados ao combate da pandemia.

Mudança nos procedimentos

A mudança de política na Emirates a alinhará a muitos de seus concorrentes, bem como às orientações oficiais de reguladores internacionais da aviação e da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

De fato, recentemente a Organização Internacional de Aviação Civil (OACI), através de seus conselhos, afirmou que qualquer exame de saúde para os membros da tripulação deve ser “o menos invasivo possível”. Em vez disso, os membros da tripulação devem ser incentivados a medir a temperatura regularmente, relatar imediatamente quaisquer sintomas relacionados ao novo coronavírus e manter boas práticas de higiene.

Agora, pilotos e tripulação de cabine terão que passar por triagem térmica na partida e chegada do Aeroporto Internacional de Dubai, a menos que a temperatura esteja anormalmente alta. Os membros da tripulação que falharem na triagem de temperatura continuarão a fazer o teste para o novo coronavírus.

As tripulações de cabine continuarão a utilizar equipamento de proteção individual (EPI), incluindo máscaras, óculos, aventais e luvas descartáveis. Os passageiros também devem usar máscaras durante todo o voo, e o serviço de bordo foi limitado para reduzir o contato entre a tripulação e os passageiros.

O AeroIN falou em maio que a Emirates havia anunciado a realização de testes, em abril, de Covid-19 em passageiros antes do embarque em suas aeronaves. No entanto, um mês depois, a empresa havia concluído que os testes eram ineficazes e parou com a prática.

Os Emirados Árabes Unidos mantêm uma proibição de entrada de turistas no país, mas há planos de receber 200.000 estrangeiros que possuem vistos de residência e que foram impedidos de retornar devido a restrições nas fronteiras nas últimas semanas.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias

Embraer A-29 Super Tucano completa 90 mil horas de voo no...

0
Na manhã desta sexta-feira, duas aeronaves do Esquadrão Joker (2°/5° GAV) decolaram da Ala 10, em Parnamirim para realizar um treinamento