Início Empresas Aéreas Empresa aérea avisa que vai demitir tripulantes que não se vacinaram

Empresa aérea avisa que vai demitir tripulantes que não se vacinaram

Um grupo de comissários de bordo e pilotos da Cathay Pacific que não se vacinaram contra a COVID-19 está sendo alertado de que a companhia prepara uma medida disciplinar para puni-los.

Boeing 777 Cathay Pacific

Entre 60 e 80 tripulantes começaram a ser indagados pela companhia aérea sobre a vacinação, estipulada até a data de de 31 de agosto, conforme informa o South China Morning Post. Através de cartas, a empresa pede explicações sobre o motivo de os tripulantes demorarem mais de 9 semanas para receberem a medida de proteção.

“Como resultado, a empresa agora tomará medidas para rescindir seu contrato de trabalho. Se você acredita que nossas informações estão incorretas ou deseja discutir sua situação conosco, entre em contato imediatamente”, diz um dos trechos da carta enviada aos tripulantes não vacinados.

Em uma nota, um porta-voz da companhia disse que o pequeno número de casos individuais está sendo acompanhado, e que a empresa continuará avaliando o emprego futuro daqueles que não foram vacinados, para decidir se eles podem continuar empregados como tripulantes da Cathay Pacific.

Até o momento, a Cathay mantém uma taxa de 99% de pilotos vacinados e 93% de comissários de bordo imunizados com a vacina contra a COVID-19. As partes não vacinas, tirando o pequeno grupo citado acima, não receberam a dose devido a problemas de saúde que impossibilitam a imunização, ou estão afastados dos seus trabalhos por acordos trabalhistas.

Os tripulantes não vacinados estão proibidos de realizar voos na companhia e até mesmo tendo negado seu acesso ao Aeroporto de Hong Kong, principal hub da empresa. Atualmente, todos os voos são realizados por tripulantes vacinados.

Em junho a chinesa já vinha alertando aos pilotos e comissários de bordo que seu emprego na companhia aérea seria revisto e seu contrato rescindido se eles não tomassem a vacina até agosto.

Como forma de incentivo, a empresa também começou a oferecer serviços médicos de pré-vacinação gratuito na tentativa de amenizar os temores que alguns funcionários têm sobre a vacina.

Leia mais:

Sair da versão mobile