Empresa aérea cancelará até 50 voos por dia devido a problemas com o A320 neo

A companhia aérea indiana de baixo custo e baixa tarifa GoAir está calculando que terá de cancelar vários voos por dia em um futuro próximo, devido a atrasos na entrega de seus Airbus A320 neo. A companhia aérea culpou a Airbus e a Pratt e Whitney, fabricante dos motores, que dizem não poder entregar as aeronaves até 9 de março

Avião Airbus A320 neo GoAir

O Economic Times relata que a GoAir será impactada em quase 50 voos diários enquanto aguarda a entrega de motores de reposição para sua aeronave A320 neo. A transportadora aterrou pelo menos sete aeronaves de sua frota de 42 neos, deixando enormes lacunas em seus horários.

Cada aeronave, em média, realiza cerca de oito voos domésticos diários. Perder sete de sua frota deixa a companhia aérea à deriva em até 60 voos diários. Em vez de deixar o mercado doméstico sem o serviço, a companhia aérea está tomando medidas para retirar as aeronaves de suas rotas de longo curso, a fim de liberar capacidade para os voos mais curtos.

Em comunicado ao Economic Times, a companhia aérea disse: “Nas últimas quatro semanas, tivemos o aterramento não planejado de aeronaves. E agora, fomos informados por nossos parceiros comerciais Airbus e Pratt & Whitney de sua incapacidade de entregar aeronaves e motores prometidos até 9 de março de 2020, necessários para apoiar nosso crescimento atual. “Como resultado, fomos forçados a suspender temporariamente determinados voos da nossa rede para os próximos meses, inclusive com assentos já vendidos”.

Os detalhes das rotas e voos a serem cancelados pela GoAir ainda não foram revelados, mas acredita-se que sejam incluídos voos para Cingapura e Kuwait.

O que aconteceu com os A320 neo?

Em novembro do ano passado, a Direção-Geral da Aviação Civil (DGCA) da Índia ordenou que os operadores do A320neo substituíssem os motores Pratt & Whitney, após uma série de incidentes envolvendo desligamento de motos em pleno voo. Esse pedido afetou duas companhias aéreas na Índia, a GoAir e IndiGo.

As companhias aéreas teriam originalmente apenas 13 semanas para substituir os motores em aeronaves ativas. No entanto, o DCGA recentemente aumentou esse período, concedendo às companhias aéreas até 31 de maio a realização da substituição. Não está claro, porém, se essa extensão foi resultado das notícias de que os procedimentos de decolagem da IndiGo poderiam estar contribuindo para os desligamentos.

Independentemente da extensão do prazo, o DCGA ainda exigia um menor tempo entre as manutenções nesses motores, a fim de evitar paradas inesperadas. Esse requisito é o que levou as aeronaves da GoAir a serem aterradas, a fim de aguardar por novos motores.

A GoAir espera receber entre 12 e 15 aeronaves A320 neo ao longo do ano. Ela continuará a receber aeronaves nesse ritmo até 2025, para cumprir todo o seu pedido de 144 Airbus A320neos.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

ANAC divulga orientações para aluguel, empréstimo e calibração de ferramentas

0
Durante as discussões do Programa Voo Simples, lançado em outubro deste ano pela ANAC e pelo Governo Federal, foram identificadas dúvidas