Empresa aérea se junta a especialista em maconha para captar mais dinheiro

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Foto: Airbus

A Arkia Israeli Airlines assinou um acordo com a Canzon, desenvolvedora de produtos de canabidiol (CBD), popularmente conhecido como maconha para fins medicinais, para que a última ajude a empresa aérea a encontrar uma companhia de capital aberto, sem compromisso ou dívida, para se fundir e abrir o capital, como uma alternativa a uma Oferta Pública Inicial (IPO). A informação foi publicada num documento da Bolsa de Valores de Tel Aviv e reportada no periódico israelense Globes.

O negócio é complexo e foge aos padrões, pois geralmente as empresas contratam especialistas em M&A para apoiar em processos de fusão e aquisição, no entanto, ao que parece, a legislação israelense permite tal acordo. Por sua vez, como a Canzon tem capital aberto, um protocolo precisou ser aberto na Bolsa de Valores de Tel Aviv (TASE).

Na divulgação, o presidente da Canzon, Shai Zohar, e o CEO Avishai Fishman notificaram que trabalhariam com a Arkia encontrando uma empresa para que a última possa se fundir – embora essa outra empresa não seja a Canzon.

A Canzon disse que já havia assinado um Memorando de Entendimento (MOU) sobre o assunto com a Arkia Holdings, na qual os irmãos Nakash detêm uma participação de 70%. Os funcionários da companhia aérea detêm os 30% restantes. De acordo com o MOU, a Canzon tentará fundir a Arkia em uma empresa de capital aberto com pelo menos US$ 3,2 milhões em dinheiro disponível.

A fusão depende de várias condições, incluindo a celebração de um acordo vinculativo, conclusão de due diligence, obtenção de aprovações regulatórias e outras, e a empresa receptora também levantando pelo menos US$ 9,5 milhões de outros investidores públicos ou privados no momento em que transação for concluída.

Na conclusão de tal negócio, as participações detidas pelos acionistas existentes da Arkia diminuiriam de 100% para 82,64% da empresa recém-incorporada (57,85% para os irmãos Nakash, 24,79% para os funcionários da Arkia), enquanto os outros 17,36% seriam divididos entre os acionistas captados pela Canzon.

Os funcionários da Arkia tiveram 30 dias para decidir se querem fazer parte da oferta, disse seu presidente e CEO Gadi Tepper. A companhia aérea tem atualmente 530 funcionários, mas todos, exceto 60, estão em licença devido à pandemia Covid-19.

Yaron Zelika, presidente do Conselho de Trabalhadores de Arkia, disse ao Globes: “Tudo depende da aprovação do conselho de trabalhadores. Vamos estudar o plano e tomar uma decisão ”.

Sem confirmação, o Globes especulou que uma opção poderia ser a Canzon assumir o controle de tal empresa para então usá-la como uma plataforma para a fusão com a Arkia.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias