Empresa lança atração que faz você sentir a experiência de um acidente aéreo

acidente darkfield
Imagem: Darkfield Productions

Um grupo britânico lançou uma proposta diferente para aqueles que querem pagar um algum dinheiro para sofrer um acidente de avião, ou melhor, se sentir em um. E bem a tempo do Natal. Pela proposta, o participante fica sentado num assento de avião real, enquanto experimenta duas realidades muito diferentes em um período de 30 minutos: na primeira, o avião pousa normalmente; na segunda, ele não tem a mesma sorte.

O Grupo Teatral Darkfield, levou essa experiência imersiva envolvendo um acidente de avião para Melbourne, na Austrália. A atração, intitulada Flight, está causando muito impacto a partir de um contêiner às margens do rio Yarra.

Como funciona a sensação de acidente aéreo?

As performances são realizadas na escuridão total em contêineres de dez metros. O interior do contêiner se parece exatamente com uma cabine de avião. Você prende os cintos, assiste ao vídeo de segurança e espera que as luzes se apaguem.

Durante o evento, a produção se concentra no uso de som binaural. O som binaural funciona apenas em fones de ouvido e o grupo Darkfield usa fones de ouvido especiais. O som é imediato e íntimo. Parece que o metal está sendo arrancado da aeronave, rangendo e uivando. É tudo muito imersivo.

A tecnologia binaural empregada fornece uma direcionalidade focada no som – o que significa que você tem a sensação de que as coisas ocorrem fisicamente ao seu redor, em vez de apenas nos fones de ouvido. E, aparentemente, os sons são estranhamente reais. O desempenho de Darkfield foi projetado para jogar com medos básicos, estimular respostas primárias e causar um pico de adrenalina.

O preço para participar da atração é de US$30 por 30 minutos.

Quem organiza?

O Darkfield é um grupo teatral que lida com medo e ansiedade. Eles também produziram um trabalho chamado Seance, que aconselhava mulheres grávidas, crianças, claustrofóbicos e pessoas com problemas cardíacos ou nas costas a não comparecer. Uma verificação no site de Darkfield revela que eles estão em tour pela Austrália nesse momento.

Os criativos por trás da Flight têm prazer em comparar seu trabalho com casas mal-assombradas. Darkfield se descreve como “um parque temático sonoro multissensorial” e se orgulha de que seus shows “roubam você da realidade”. O primeiro trabalho lançado em 2017 foi uma sessão de “arrepiar”, arrancada diretamente da tradição do espiritualismo da era vitoriana e sobrecarregada pela tecnologia moderna. Desde então, mais de 100.000 pessoas assistiram a obras de Darkfield em todo o Reino Unido, Austrália e México.

Flight é o segundo projeto da empresa e o terceiro é chamado Coma (é exatamente o que parece).

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.