Início Empresas Aéreas Empresa russa programa 73 voos para a Venezuela

Empresa russa programa 73 voos para a Venezuela

Avião Boeing 767-300 Pegas Fly
Boeing 767-300ER da Pegas Fly – Imagem: Anna Zvereva / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

A primeira companhia russa a desembarcar no Caribe venezuelano será a operadora de turismo PEGAS Touristik, que programou 73 voos entre o Aeroporto Sheremetyevo, em Moscou, e o de Porlamar, na Isla Margarita (Ilha de Margarita), com sua companhia aérea parceira Pegas Fly, também conhecida com Ikar.

Segundo reporta o portal Aviacionline, o primeiro serviço chegará ao Aeroporto Internacional do Caribe Santiago Mariño, de Porlamar, em 6 de setembro, inicialmente com um pacote de turismo de 10 noites. Então, em meados de outubro, uma operação de três voos semanais (terça, quinta e sábado) será mantida até o dia 22 de março de 2022.

Nesse período, permitirá a 24.820 turistas russos ter uma alternativa adicional aos destinos habituais do México, Cuba e República Dominicana. O Aviacionline lembra que o mercado da Ásia-Pacífico atualmente apresenta fortes restrições sanitárias e uma situação epidemiológica complicada, portanto, as companhias aéreas russas no segmento de férias se voltaram para a América Latina e Caribe.

A situação do Coronavirus e as restrições em Cuba também jogaram contra a chegada do turismo russo à ilha, então a Venezuela aproveitará essa vantagem. Representantes do comércio varejista de turismo anunciaram que veem uma situação positiva para viajar para a Venezuela, de acordo com o Вестника АТОР.

Uma posição favorável que facilitará o desenvolvimento do mercado venezuelano é que os cidadãos russos não precisam de visto para entrar no país. O país latino também permite a entrada de pessoas que completaram a imunização com a vacina Sputnik-V (duas doses).

Caso contrário, os viajantes devem ter um teste de PCR realizado nas 48 horas anteriores ao voo e um segundo teste na chegada ao aeroporto venezuelano ao custo de $ 60 dólares americanos. Se o resultado for positivo, o passageiro será colocado em quarentena em um centro médico designados pelo governo.

No dia 3 de maio, a venezuelana Conviasa chegou a Moscou com dois voos mensais e, devido ao aumento da demanda com a Rússia, planeja aumentar sua operação em outubro para três voos semanais. Na lado contrário, as russas Azur Air e Nordwind preparam seu pouso em território venezuelano.

Sair da versão mobile