Início Empresas Aéreas Enquanto uma aérea suspende 2.500 funcionários, outra contrata 2.500

Enquanto uma aérea suspende 2.500 funcionários, outra contrata 2.500

Se durante os piores meses da pandemia da Covid-19 toda a aviação mundial experimentou uma parada quase completa no transporte de passageiros, agora, a recuperação em diferentes níveis em cada parte do mundo causa curiosas situações completamente antagônicas. Enquanto em um lado do planeta uma empresa aérea suspende milhares de funcionários, no lado oposto, outra contrata a mesma quantidade.

Boeing 737 da Qantas – Imagem: Bidgee / CC BY-SA 3.0 AU, via Wikimedia Commons

Como resultado das novas restrições impostas pelo governo australiano, a Qantas, maior empresa aérea do país, anunciou a suspensão de cerca de 2.500 funcionários. Eles serão colocados em licença sem vencimento por pelo menos dois meses.

Os afetados serão pilotos, tripulantes de cabine e funcionários do aeroporto da divisão de voos domésticos da companhia aérea. O impacto ocorrerá principalmente entre os trabalhadores de New South Wales, o estado mais populoso do país e sede de mais conhecida cidade, Sydney.

Conforme relata nosso parceiro Aviacionline, nenhuma dispensa é esperada atualmente entre os trabalhadores afetados. A Qantas informou que, após operar quase 100% de sua capacidade pré-pandemia em maio deste ano, voltou para menos de 40% em julho. Isso se deve aos fechamentos internos de fronteiras estaduais que visa, retardar a rápida disseminação da variante Delta do coronavírus. Sydney, a maior cidade e capital de New South Wales, permanecerá confinada por pelo menos três semanas e meia.

O presidente-executivo da Qantas, Alan Joyce, disse: “Com base nos números dos casos atuais, é razoável supor que as fronteiras de Sydney ficarão fechadas por pelo menos mais dois meses”. A companhia aérea não estocará nenhum de seus aviões, porque deseja poder “colocá-los rapidamente em voo quando a demanda voltar”. A meta é ultrapassar 100% da capacidade pré-pandêmica até o final do ano, acrescentou Joyce.

Os empregados domésticos afastados vão juntar-se a quase 6.000 dos seus colegas da divisão internacional, que estão suspensos devido à continuidade do fechamento das fronteiras. A Qantas tem um total de cerca de 22.000 funcionários em sua força de trabalho.

Na contra-mão

Enquanto na Oceania as coisas não estão favoráveis para os tripulantes, na América do Norte a forte demanda em voos de passageiros fez com que uma companhia americana contratasse 2.500 comissários de bordo, mesmo em um cenário ainda um tanto quanto incerto em meio a uma crise que não se sabe se está realmente se encaminhando para o fim.

A companhia aérea norte-americana de baixo custo JetBlue Airways anunciou recentemente o recrutamento de tripulantes, e está entre as companhias que correm para maximizar a sua equipe em meio às crescentes procuras de viagens.

Conforme relata o Paddle Your Own Kanoo, o sindicato dos comissários de bordo denunciou que os tripulantes estavam sobrecarregados com as jornadas de trabalhos, porém, um porta-voz da JetBlue comentou que as melhorias estão sendo implementadas para resolver tal problema.

Com isso, a companhia já iniciou treinamentos da primeira nova turma de comissários de bordo em seu centro de treinamento, em Orlando, na Flórida. É esperado que novas turmas comecem o curso nos próximos meses. A empresa tem vagas para comissários operarem a partir de Nova York, Boston, Fort Lauderdale, Orlando e Los Angeles.

Leia mais:

Sair da versão mobile