Epic anuncia fase final de certificação do turboélice avançado E1000

A Epic Aircraft diz que está pronta para concluir a fase final da campanha de testes de voo do seu turboélice monomotor de material composto E1000. O anúncio coloca a Certificação de Tipo da aeronave de alta performance para o final do ano.

Avião Turboélice Epic LT




A empresa também está trabalhando para garantir a certificação de produção cerca de seis meses depois. Dessa forma, a Epic poderá produzir, testar e emitir aprovação de aeronavegabilidade para cada um dos E1000s que saírem de sua linha de montagem final em Bend, no Oregon.

As duas aeronaves de teste registraram mais de 700 horas de voo desde o início de suas respectivas missões em dezembro de 2015 e janeiro de 2018.

O piloto de testes da Epic, Peter Stiles, descreve o programa de testes de voo como “um ponto brilhante dentro do pesado processo de certificação de tipo”. Ele diz que o E1000 “trabalha e manobra excepcionalmente, então nós só precisamos completar todos os requisitos obrigatórios de testes de voo para concluir esta fase final”.

O E1000 foi lançado em 2013 como uma versão certificada e atualizada da versão experimental LT, que a Epic parou de vender em 2014. O 53º exemplar do LT está programado para ser entregue no início de outubro, e o 54º e último kit será entregue no segundo trimestre de 2019, diz o diretor de vendas da Epic, Mike Schrader.

Avião Epic LT Cockpit

Cockpit do Epic LT

No Brasil, a Somma Aviation é representante exclusiva de vendas do E1000, e possui um LT demonstrador. Tivemos a oportunidade de experimentar um voo a bordo do avançado turboélice, que você pode conferir aqui: Voamos no inovador turboélice Epic LT.

Mike diz que o E1000 de US$ 3,25 milhões “está cumprindo todas as nossas expectativas, e isso não é por acaso”. A Epic “priorizou” o desempenho e a segurança, “algumas vezes às custas do cronograma”, acrescenta, apontando os rigorosos procedimentos de teste para aeronaves compostas que contribuíram para um atraso de dois anos na colocação do tipo no mercado.

“Aeronaves compostas são mantidas em um padrão mais elevado”, diz ele, “mas é a escolha certa de material e certamente beneficiará nossos clientes”.

A Epic possui 86 pedidos para o E1000 e está preparando sua fábrica para uma taxa de produção anual de 50 aeronaves.




Schrader descreve a resposta do mercado ao E1000 como “extremamente positiva”. “Nossos clientes sabem que esta aeronave é uma virada de jogo, abrindo mercados e oportunidades que não foram aproveitadas antes. Eles querem que tenhamos sucesso e nós vamos.”

A Epic publicará os dados de desempenho final para o E1000 após a certificação. Mas a aeronave impulsionada por uma Pratt & Whitney Canada PT6A-67A é projetada para ter uma velocidade máxima de cruzeiro de cerca de 320kt (610 km/h), tornando-se um dos modelos mais rápidos neste segmento de aeronaves. Tudo isso com alcance de 1.650nm (3.060km), um peso máximo de decolagem de 3.400kg (7.500lb) e um teto operacional de 34.000ft.

 
Informações pelo FlightGlobal.
 

Voamos no inovador turboélice Epic

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.