Esquadrão da FAB resgata marinheiro que estava infartando em alto mar

A missão foi cumprida por uma tripulação do Esquadrão Pantera (5°/8° GAV) e por profissionais de saúde do Hospital de Aeronáutica de Canoas (HACO), nesse domingo (25)

A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, nesse domingo (25), por intermédio do Esquadrão Pantera (5°/8° GAV), uma missão de Busca e Salvamento, a bordo do helicóptero H-60L Black Hawk. Os militares resgataram um marinheiro brasileiro que estava com suspeita de infarto, além de fortes dores no peito e nas pernas. A embarcação estava a cerca de 130 milhas (240 km) da costa, nas proximidades da cidade de Rio Grande, no Rio Grande do Sul.

Após notificação, o Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico (SALVAERO), unidade da FAB responsável por coordenar buscas aéreas na região, e o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), realizaram o acionamento do Esquadrão. A tripulação do helicóptero, juntamente com um médico e um enfermeiro do Hospital de Aeronáutica de Canoas (HACO), efetuaram o socorro. Para tanto, os profissionais de saúde utilizaram um ultrassom em voo, caracterizando Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea avançada.

O paciente foi resgatado por meio da técnica de içamento tipo convés e transportado para o Aeroporto de Rio Grande, onde uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) aguardava para encaminhá-lo ao hospital. A equipe proveu apoio de UTI avançada na ambulância e coordenou um leito de Centro de Terapia Intensiva (CTI) no Hospital de Cardiologia da Santa Casa de Rio Grande.

O Tenente Aviador Matheus da Rocha Machado conta que o resgate ocorreu em um momento com pouca visibilidade e por causa disso a missão foi mais difícil.

“Após o acionamento, decolamos de Santa Maria (RS) para Canoas (RS), onde embarcaram dois militares do HACO, um Oficial e um Graduado, que dariam o suporte aéreo médico de apoio à vida e auxiliariam no momento do içamento. Chegamos à embarcação por volta de 18 horas (horário de Brasília), muito próximo do pôr do sol, que seria às 18h05. Não tínhamos espaço para erro e a sinergia de toda a equipe foi muito importante”, lembra. O procedimento ocorreu em aproximadamente 15 minutos, sem uso de maca.

O militar, que possui habilitação em técnicas de resgate, foi infiltrado para realizar o içamento do marinheiro do convés. “Fizemos a análise da situação e percebemos que a embarcação estava balançando muito. Foi mais uma missão gloriosa para a nossa Força Aérea Brasileira. Afinal, treinamos dia após dia, para isso. Ou seja, quando alguém precisa, mostramos que estamos prontos. Cada um fez a sua parte e temos mais uma vida salva”, comemorou.

Informações da FAB – Fotos: Tenente Machado/Ala 4

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Um raro avião venezuelano pousa em Manaus nessa quarta, antes de...

0
Um voo de um raro Airbus A300 terá como destino intermediário o Brasil nessa quarta-feira (16). A visita do clássico avião, pertencente