Esqueça o 777X, é o 777-200LR que pode ser o avião da Qantas nos voos de 20 horas

Rumores indicam que a solução provisória oferecida pela Boeing para o Project Sunrise pode ser uma frota de 777-200LR, segundo informações reveladas pelo Airline Retings.

Avião Boeing 777
Boeing 777-200

A fabricante dos EUA desacelerou o já atrasado desenvolvimento do seu 777X de modelo menor mas de maior alcance, o 777-8, a aeronave lógica para a missão. E pensava-se que convenceria a Qantas a operar o maior, 777-9, como uma alternativa com carga útil reduzida para cumprir as missões de longo-alcance, com pouco menos de 300 passageiros.

No entanto, fontes americanas sugerem que a solução pode ser de fato o 777-200LR, ironicamente uma aeronave quase comprada pela Qantas em 2005. A aeronave pode fazer a distância de Sydney para Londres (e Sydney para Nova York) como uma alternativa provisoria. O 777-200LR tem um alcance de 15.843 km, enquanto a distância entre as duas cidades é de 16.999 km.

O executivo-chefe da Qantas, Alan Joyce, disse que a Boeing fez à companhia aérea uma oferta extremamente atraente para o Project Sunrise, que muitos dizem que é irrecusável, mas os detalhes são escassos. Os rumores indicam que a oferta seria de um misto de 777-200LR e 777-9.

O 777-200LR tem uma capacidade de 317 assentos em duas classes, mas para o Project Sunrise, provavelmente seria de cerca de 270 lugares. A aeronave seria retirada da frota da Qantas quando o 777-8 fosse entregue, e devolvida à Boeing, que converteria em cargueiros para a FedEx.

Embora o 777-9 seja muito grande a longo prazo para a missão Project Sunrise, a aeronave é agora o maior modelo disponível para uma substituição dos Airbus A380 da Qantas, já que recentes cortes da Etihad Airways, da Lufthansa e da Emirates em seus pedidos do 777X liberaram posições de entrega antecipada para o modelo -9.

Assim, a Boeing prevê que a Qantas manterá o 777-9 para aposentar o A380 e devolverá apenas o 777-200LR quando o 777-8 for entregue.

Mas a oferta da Boeing ainda enfrenta uma concorrência muito dura da Airbus com o A350-1000. O CEO da Qantas diz que a definição está muito próxima.

No começo da semana, a companhia australiana havia anunciado que rejeitava as ofertas inicialmente oferecidas por Airbus e Boeing para o projeto:

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.