Esse é Jared Santos, o primeiro piloto a voar mil horas no caça F-35A

Foto USAF

Um piloto da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) atingiu a especial marca de mil horas de voo no avançado caça F-35A. Ele é o tenente-coronel Jared “Vic” Santos da 388ª Ala de Caça na Base Aérea de Hill, de Utah, se tornando o primeiro piloto militar a alcançar tal marca. Notadamente, ele apesar de estadunidense, o coronel Santos possui uma ascendência latina, denunciada por seu sobrenome.

Em janeiro, outro militar já havia voado o mesmo número de horas num modelo F-35B. Em 2017, um piloto da Lockheed Martin atingiu 1.000 horas em modelos F-35 usados como protótipos. Em geral, o caça F-35A é mais ágil que o modelo B, devido a inúmeros recursos diferentes entre si. Uma explicação bastante completa sobre as diferenças dos modelos pode ser acessada nesse excelente artigo do Yahoo.

Antes do F-35

Antes de fazer a transição para o F-35A, Santos pilotou o F-15C Eagle, bem como o F / A-18 Hornet durante um programa de intercâmbio do Corpo de Fuzileiros Navais, acumulando 2.000 horas combinadas entre os jatos de quarta geração, de acordo com um comunicado da Força Aérea.

“Esta é uma conquista para “Vic”, para nós como uma ala e para a Força Aérea”, disse o coronel Steven Behmer, comandante da 388ª ala de caça, no comunicado. “Há relativamente pouco tempo, a Força Aérea estava implementando este programa. Agora, temos nosso primeiro piloto de 1.000 horas. Pilotos como “Vic” podem passar essa experiência para os pilotos mais jovens do F-35. Eles realmente vão tirar o melhor proveito deste jato, que já é muito capaz, e continua melhorando”.

Atualmente gerente de projetos especiais da ala, Santos treinou primeiro no caça de quinta geração na Base Aérea de Eglin  Flórida. Embora o F-35 seja a aeronave mais nova e avançada do Pentágono, os caças mais antigos da frota residem em Eglin; os aviões fazem parte dos primeiros lotes de produção inicial do fabricante Lockheed Martin.

“Tem sido emocionante ver o programa progredir até onde estamos hoje… atingir 1.000 horas não significa que eu seja especial. Significa apenas que estou velho”, disse Santos, que se formou na Academia da Força Aérea em 2000.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias