Início Indústria Aeronáutica Estreia nos céus o primeiro A330-800neo destinado a um cliente da Airbus

Estreia nos céus o primeiro A330-800neo destinado a um cliente da Airbus

Em meados de fevereiro, o menor modelo da família A330 neo recebeu sua tão esperada certificação pelas agências dos Estados Unidos e da Europa.

Avião Airbus A330-800 A330neo Kuwait Airways
Airbus A330neo de Kuwait Airways – Imagem: Airbus

Com poucas unidades vendidas até agora e para empresas de segunda linha, sendo um para a Air Greenland, dois para a Uganda Airlines e oito para a empresa aérea nacional do Kuwait, o modelo Airbus A330-800neo “lutou” para sair do papel.

Por fim, ele se tornou realidade e, agora, além do protótipo de testes, também está voando o primeiro exemplar do modelo que será entregue à uma companhia aérea, no caso a Kuwait Airways. Segundo a programação, a primeira unidade será entregue à empresa kuwaitiana em julho, a qual lançará o modelo.

O primeiro voo acontece no momento em que essa matéria é escrita e pode ser acompanhado através do FlightRadar24. A decolagem ocorreu há cerca de uma hora de Toulouse e a aeronave aproou para o Mar Mediterrâneo, onde realiza manobras a 40.400 pés. O avião ainda tem o registro da fabricante F-WWYU.

Mais detalhes do A330-800

O avião tem duas diferenças em relação ao -900: capacidade e alcance. Ele tem capacidade para transportar até 406 passageiros em classe única, no entanto, ele deve ser usado para carregar uma média de 220 a 260 pessoas, com um alcance de 15.094 km. Isso contrasta com o -900, que pode transportar até 440 passageiros, ou 260 a 300 em um layout de três classes, para um alcance de 13.334 km.

Talvez, um dos diferenciais mais interessantes do -800 é que ele pode pousar em pistas mais curtas do que todas as aeronaves de nova geração (A350, 787, A330neo, 777X) e isso influenciou a escolha das três empresas aéreas que você viu no início desse artigo.

Familia A330neo

A fabricante de aviões europeia posicionou a família A330neo de jatos remotorizados, que inclui também o modelo maior A330-900 que começou a transportar passageiros na TAP Air Portugal no final de 2018, como um substituto para os antigos A330-200 e -300, bem como a família 767 da Boeing.

Os aviões podem transportar de 220 a 300 passageiros em layouts típicos de três classes, com alcance de até 9.379 milhas (15.000 km) no caso do integrante menor, -800.

A família A330neo recebeu cerca de 400 pedidos firmes até o momento, segundo os números da Airbus, mas apenas 11 são para o A330-800.

O -800 tinha mais pedidos, como da norte-americana Hawaiian Airlines, mas esses compromissos diminuíram quando as companhias aéreas mudaram para o -900 ou cancelaram seus pedidos.

Diferença para o 900

As duas variantes do A330neo são muito semelhantes, e talvez semelhantes demais, o que tem refletido em sua fraca carteira de pedidos.

O A330-800 acomoda de 220 a 260 passageiros em três classes de serviço, enquanto o A330-900 pode acomodar entre 260 e 300 assentos em um layout típico de três classes e tem um alcance de cerca de 7.200 milhas náuticas.

Assim, o A330-800 não tem nenhuma vantagem real de escala em relação ao -900, apenas um alcance adicional – mas nada significativo para diferenciá-lo de seu irmão mais velho, exceto em rotas específicas no intervalo de diferença entre os alcances. Por um preço e compromisso semelhantes, o -900 pode acomodar 50 passageiros a mais e possui um valor residual geral melhor.

Bom demais para mim

As transportadoras americanas com grandes frotas 767 veem o A330-800 com ceticismo. A Delta Air Lines, que encomendou 35 A330-900 e alugou outros dois jatos, está preocupada com o fato de o jato ser “capaz demais” para as suas necessidades.

“Queremos ter alcance, capacidade, [mas] não queremos em excesso”, afirmou o CEO da transportadora de Atlanta, Ed Bastian, sobre o A330neo em junho de 2018. “Às vezes, uma aeronave tem capacidade e alcance demais e, na verdade, torna-se mais cara e sub-ideal para o que sua missão precisa.”

A Airbus, por sua vez, disse que pode reduzir o peso e o impulso de decolagem do A330-800, tornando-o mais barato de operar e mais próximo das capacidades operacionais do 767.