Estudo afirma que testes pré-embarque capturam 99,6% dos casos positivos de Covid

Foto: Heathrow

Um estudo conjunto da American Airlines e da British Airways, que analisou o uso de testes de COVID-19 antes da partida, concluiu que um único teste tem o potencial de detectar 99,6% dos casos positivos, se realizado dentro de 72 horas antes da partida do voo programado.

O estudo analisou 600 passageiros voluntários reais em voos entre várias cidades dos Estados Unidos e o Aeroporto de Heathrow, em Londres. O estudo foi financiado pela indústria aérea e analisado por pesquisadores da Universidade de Oxford.

Os voluntários fizeram um teste padrão ouro de Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) 72 horas antes da partida, seguido por um teste LAMP de retorno rápido imediatamente na chegada e, em seguida, um terceiro teste PCR cinco dias após a chegada.

“Apenas 1% dos viajantes que fizeram o teste 72 horas antes da partida tiveram resultado positivo e, como resultado do teste, não viajaram”, disseram as companhias aéreas. “Nenhum dos viajantes que fez o teste na chegada a Londres teve resultado positivo. Dos viajantes que fizeram o terceiro teste, depois de chegar ao Reino Unido, apenas 0,4% tiveram resultado positivo.”

O teste foi iniciado antes que os requisitos de teste pré-embarque fossem impostos pelo governo britânico e pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA. O governo britânico, desde então, introduziu regras de teste pós-chegada para a grande maioria dos passageiros chegando do exterior.

Nem o governo britânico nem o CDC divulgaram dados sobre as taxas de positividade para testes pré-partida ou pós-chegada. Mesmo assim, a American Airlines e a British Airways compartilharão seus próprios dados de estudo com governos de ambos os lados do Atlântico, na tentativa de suspender as restrições às viagens.

As companhias aéreas ficaram empolgadas com o fato de que quase 100% dos viajantes disseram que ficariam felizes em fazer um teste antes da partida se isso significasse que eles poderiam pular a quarentena e 70% disseram que fariam um teste antes da partida se isso significasse que eles poderiam viajar.

Cerca de 80% dos viajantes estão dispostos a pagar $ 50 dólares por um teste antes da partida, mas com $ 100 o número de viajantes dispostos a pagar cai para apenas 15%.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Para a volta da malha global de voos, os Estados devem...

0
Os Estados participantes da HLCC da OACI declararam seu compromisso com 14 medidas que, se fossem colocadas em prática, permitiriam a volta.