Aviões da ETIHAD voaram com menos de 60% de ocupação na rota SP-Abu Dhabi.

Em nota emitida no mês de novembro de 2016, a ETIHAD AIRWAYS, que tem sede em Abu Dhabi, comunicou o cancelamento dos seus voos para o Brasil. Na nota, a empresa destaca o cenário econômico adverso em nosso país como a principal causa para o encerramento das operações.

Com base em informações da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), analisamos as ocupações médias dos aviões da Etihad no ano de 2016, a fim de entender como oscilou a demanda de passageiros na rota Guarulhos – Abu Dhabi. E os resultados são bastante ruins.

Veja no quadro abaixo o total de assentos oferecidos pela empresa e a quantidade de passageiros pagos transportados. As informações estão apresentadas até novembro de 2016, mês em que a empresa decidiu pelo cancelamento dos voos.

Note que há meses em que os aviões voaram com menos 60% de sua capacidade (exemplos de maio e julho de 2016) , enquanto que os picos se concentram na alta temporada, chegando a 90% em janeiro.

 

A demanda do voo (load factor) não é a única variável que a empresa considera ao decidir por iniciar ou cancelar voos, mas é uma das mais importantes. Se, mesmo com passageiros, um voo pode dar prejuízo (dependendo da estrutura de custos, do câmbio, etc), imagine sem passageiros.

Embora não tenhamos acesso à estrutura de custos da Etihad, segundo os relatórios para investidores da empresa, o load factor médio foi de 79,4% e lucro líquido de US$ 103 milhões em 2015. A média de 72% dos voos para o Brasil empurram o índice para baixo e, certamente, também o lucro.

Em breve faremos uma análise da ocupação esperada pela Emirates na rota São Paulo – Dubai, com A380. Boa parte dos passageiros da Etihad certamente migrarão para a Emirates.

 

Relembre a nota da empresa à imprensa, emitida no mês de Novembro de 2016.

A Etihad Airways suspenderá as operações entre Abu Dhabi e São Paulo a partir de 26 de março de 2017.

O atual cenário econômico no Brasil, juntamente com a forte depreciação da moeda brasileira, afetaram gravemente as viagens de e para o país. O desempenho da rota ficou aquém das expectativas da empresa e a difícil decisão de suspender indefinidamente as operações locais foi tomada.

Os passageiros que já fizerem reservas em voos além de 25 de março receberão o reembolso total dos bilhetes ou opções alternativas de viagem em cooperação com a companhia aérea parceira Alitalia, via Roma.

A Etihad Airways lançou voos regulares para a maior cidade do Brasil em junho de 2013. Mais de 460 mil passageiros foram transportados na rota nos últimos três anos.

A Etihad Airways agradece aos clientes, às autoridades brasileiras e aos seus funcionários que atuam no Brasil, o apoio concedido à rota desde o seu lançamento.

Nos próximos dias, a Etihad Airways e agências de viagens parceiras entrarão em contato com os clientes para informá-los sobre o reembolso ou opções alternativas de viagem.

Da Assessoria de Imprensa da Etihad Airways.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Voo histórico de 60 metros feito por Santos Dumont completa 115...

0
O voo do brasileiro Alberto Santos Dumont, em uma distância de 60 metros com o 14-Bis, no Campo de Bagatelle, em Paris, marcou historicamente aquele 23 de outubro de 1906 e consagrou ainda mais o inventor. O aparelho subiu 2 metros de altura e foi o bastante para a humanidade olhar para cima e para o futuro de forma diferente.