EUA bloqueia venda de jato russo Sukhoi Superjet ao Irã

Os planos de modernizar a frota das companhias aéreas do Irã parece ter ido por água abaixo de vez: a Sukhoi não conseguiu licença dos EUA para vender para a Iran Air Tours o jato regional Superjet.

A Sukhoi é uma tradicional fabricante russa, famosa globalmente pela série de caças Flanker. Porém na virada do século a Sukhoi decidiu retornar de vez ao mercado de aviação civil com o Superjet 100.

Nós já tivemos a oportunidade voar neste jato num voo entre Bruxelas e Genebra, e o regional russo não perde em nada para os concorrentes da Airbus e Embraer.

Porém assim como os jatos da Airbus e da Embraer, possui componentes americanos: o sistema elétrico é da Collins Aerospace, o conjunto de rodas da Goodrich e o APU da Honeywell. Além disso pequenos componentes são americanos ou são feitos em parte por empresas dos EUA.

Com a recente volta do embargo ao Irã, produtos americanos não podem ser exportados para o país, que se viu novamente sem poder renovar a frota das suas companhias aéreas, que incluem aviões antigos como o Airbus A300 e o Boeing 747-300.

A encomenda de 20 jatos feita pela Iran Air Tours não será feita. “Aparentemente a falta de licença a ser emitida pela OFAC (órgão do tesouro americano que controla exportações) faz com que a chegada de novas aeronaves esteja fora de questão”, declarou Maqsoud Asadi, secretário da Associação Iraniana de Companhias Aéreas.

Atualmente o Superjet 100 tem mais de 10% de componentes americanos, fazendo com que seja necessário ter a licença. Sem ela as exportações dos componentes podem ser paralisadas, impossibilitando a fabricação russa da aeronave, independente do cliente.

A Sukhoi estaria trabalhando na redução do número de componentes americanos para baixo de 10%, mas ainda não conseguiu fazer isso, segundo Maqsoud.

O Grupo Airbus foi um dos principais atingidos pela volta da sanção: eram mais de 100 aviões encomendados, mas apenas 13 ATR foram entregues e três Airbus A330, que inclusive eram originalmente da Avianca Brasil.

Com informações da PressTV.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos