EUA mudarão regras para evitar que passageiras façam o chamado “Turismo de Parto”

O governo dos EUA está mudando sua política de emissão de vistos para evitar que passageiras cheguem ao país com propósito do “Turismo de Parto”.

Passageiras
© Fear of Flying

Essa a mudança já tinha sido anunciada pelo governo de Donald Trump no passado. Atualmente, quem nasce em território americano, ganha automaticamente a cidadania do país, segundo o conceito jurídico conhecido por “Jus soli”.

Quero um americaninho

Por ser a economia mais forte do mundo e com diversas oportunidades de emprego, isso acabou incentivando a criação de um novo tipo de turismo: o “de parto”.

Nessa prática, diversas mães (inclusive brasileiras) voam para os EUA meses antes da data programada de nascimento. Após o nascimento do filho nos EUA, elas retornam para o Brasil ou seu país de origem, já com a garantia da cidadania americana para o recém-nascido.

A Casa Branca ainda não especificou como será a fiscalização, mas informou que “não irá mais emitir vistos temporários (B1/B2) para pessoas que procuram entrar na América para “turismo de parto””.

Também não foi informada como será a situação das passageiras que já tem um visto B válido. Porém, a expectativa é de que a fiscalização seja feita apenas na hora da emissão do visto ou até no check-in do passageiro no aeroporto.

Embarque pode até ser negado no aeroporto

Rumores apontam que, caso a passageira esteja em gestação avançada, será necessário apresentar uma passagem de volta antes do mês para o qual o parto é esperado. Vale lembrar que os EUA (assim como qualquer outro país) cobram das companhias aéreas de que toda a documentação necessária seja verificada antes do embarque, e o passageiro pode inclusive ser questionado sobre o motivo da sua viagem.

“Esta medida é necessária para aumentar a segurança pública, nacional e a integridade do nosso sistema de imigração, fechando um círculo vicioso que criava uma vulnerabilidade” afirmou o porta-voz da Casa Branca à CNN.

A possível vulnerabilidade é que os pais de cidadãos americanos podem pedir um visto permanente quando este cidadão completar 21 anos de idade, o que abre espaço para a entrada de mais imigrantes.

A nova regra entrou em vigor a partir de 24 de janeiro. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA estima que 10 mil partos decorrentes deste tipo de turismo ocorram por ano nos EUA.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias