Início Empresas Aéreas EUA liberam vacina da Pfizer a pilotos, mas exige dois dias de...

EUA liberam vacina da Pfizer a pilotos, mas exige dois dias de afastamento

A Administração Federal de Aviação dos EUA, a FAA, autorizou o uso da vacina da Pfizer para pilotos, comissários, controladores e mecânicos, mas com uma condição que a categoria tentava evitar: os dois dias de afastamento.

© Delta Air Lines

A vacina da Pfizer-BioNtech foi autorizada para uso emergencial ontem pela FDA, órgão equivalente à brasileira ANVISA. A vacina contra o coronavírus também foi aprovada no Reino Unido e Canadá, e está no processo de análise no Brasil.

A FAA afirmou que todos os profissionais regulados por eles podem tomar a vacina, mas, ” para manter o mais alto nível de segurança no Espaço Aéreo Nacional, a agência irá exigir que profissionais de aviação com certificados médicos passem por um período de observação de 48 horas após a administração da dose, não podendo antes disso assumir posições sensíveis na aviação, como voar ou controlar voos”.

Foi ressaltado que este período de observação deve ser cumprido após cada dose da vacina da Pfizer, que exige duas doses com 21 dias de separação entre cada uma.

Apesar de não detalhar o motivo deste período de observação, muito provavelmente ele vigorará para garantir que qualquer efeito adverso da vacina após a aplicação, que pode acontecer com qualquer imunizante, não afete a vida dos profissionais da aviação.

A FAA ainda destaca que irá avaliar outras vacinas assim que elas forem liberadas pela FDA e encoraja que todos os americanos tomem as vacinas aprovadas contra o coronavírus.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A