EUA pode ter ‘lista negra’ comum e retirar o direito de voar de alguns passageiros

Uma proposta de ‘lista negra’ compartilhada foi levantada nos EUA, o pode impedir que um passageiro embarque em qualquer companhia aérea, tirando seu ‘direito’ de voar.

Foto de Alan Wilson

A proposta de banir massivamente passageiros que perturbam voos e colocam a segurança em risco foi colocada pela Delta Air Lines no começo da pandemia, quando a quantidade de casos saltou vertiginosamente, sobretudo quando foram introduzidas as medidas sanitárias, como o uso da máscara facial, por exemplo.

Mais de um ano se passou e várias medidas foram colocadas em prática. Outras empresas começaram a banir também e as autoridades americanas subiram as multas para valores altos, a fim de inibir os indisciplinados. Apesar de terem diminuído, as ocorrências seguem altas, levando a FAA a se reunir com a empresa e a dar o prazo de um mês para elas tomarem ações que acabem com confusões a bordo.

Nos EUA, a lei permite que qualquer empresa ou pessoa negue o serviço, ou produto, a um cliente, sem dar justificativa, desde que não seja por motivos discriminatórios.

E agora, a mesma Delta que ampliar isso, propondo uma lista compartilhada em que um passageiro que causou problema e foi expulso de seus voos, possa ter a venda e embarque negados nas outras empresas aéreas também. Segundo a Fox News reporta, um memorando interno da empresa aponta que 1.600 passageiros já foram banidos no último ano, e que a empresa busca compartilhar esta lista com outras empresas aéreas, que de maneira recíproca também poderiam banir estas pessoas e compartilhar suas listas próprias de banimentos.

Em um caso extremo, em que todas as empresas aéreas regulares dos EUA compartilhem as listas, um passageiro precisaria de uma expulsão de voo para ficar impedido de voar comercialmente. As outras empresas ainda não pronunciaram a respeito do projeto.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias