Europa deve autorizar a volta do Boeing 737 MAX somente em 2021

Reguladores europeus devem dar novo aval ao jato americano Boeing 737 MAX só no ano que vem, aponta o chefe da EASA.

Boeing 737 MAX – Imagem: Ryanair

“Todos os estudos nos apontaram que a aeronave pode sim retornar ao serviço. É provável que, no nosso caso, tomaremos as decisões que permitirão colocá-la de volta ao voo em janeiro”, afirmou Patrick Ky, chefe da EASA (Agência Europeia de Segurança da Aviação) ao jornal francês La Tribune.

Diversas vezes a EASA sinalizou que não iria seguir de forma direta a americana FAA para a recertificação do 737 MAX, que teve dois acidentes trágicos que vitimaram mais de 300 pessoas.

“Nós queríamos ter uma análise completa e independente da segurança desta aeronave, então fizemos a nossa própria análise e nossos voos de testes para analisar todo o comportamento do avião”, conclui Patrick.

Na Europa, serão 10 empresas que irão operar em torno de 495 unidades do 737 MAX, incluindo Air Europa, Enter Air, IAG (grupo composto por Iberia, Vueling, British Airways, Aer Lingus e LEVEL), Icelandair, Norwegian, Ryanair, Smartwings, TAROM, TUI e UTair.

Por outro lado, na China não existe previsão de retorno dos 737 MAX, enquanto no Brasil a ANAC afirma estar trabalhando na volta do jato, mas não deu um prazo:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

SNA processa Azul, Latam e Gol em caso de pagamento de...

0
O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) informou por meio de nota que ingressou com ações coletivas contra as empresas Azul, Latam e Gol