Para homenagear colegas do 11/09, ex-comissário empurrará carrinho de bebidas por 350 km

Ex-comissário de bordo que empurrará carrinho de bebidas – Imagem: Paul Paulie Veneto

Com a ideia de levantar fundos para ajudar as famílias que perderam seus entes no fatídico 9/11 – os ataques terroristas do dia 11 de setembro nos Estados Unidos -, e homenagear seus colegas de profissão, um ex-comissário de bordo de 62 anos de idade pretende empurrar por cerca de 350 quilômetros um carrinho de serviço de bordo usado em aeronaves comerciais.

O ex-tripulante Paul “Paulie” Veneto, que trabalhou por muitos anos na United Airlines, planeja empurrar o carrinho carregado, pesando 30 kg, partindo do Aeroporto Internacional de Boston, em Massachusetts, com destino ao Ground Zero, em Nova Iorque, local onde o World Trade Center foi destruído nos ataques terroristas.

Segundo relata o Paddle Your Own Kanoo, Paulie entrou em um vício com substâncias derivadas do ópio, a fim de amenizar a dor da perda de seus colegas comissários que faleceram nos ataques terroristas, e o novo feito que pretende realizar significa uma nobre atitude e superação.

Após se aposentar por conta dos terríveis acontecimentos dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, Paulie comenta: “Depois de quase 15 anos me entorpecendo com os pensamentos daquele dia, eu finalmente fui libertado do vício desde 2015. Agora posso finalmente homenagear meus companheiros caídos da tripulação. Estou fazendo isso porque quero que as famílias desses membros da tripulação saibam como eles foram corajosos naquele dia.”

Imagem: Paul Paulie Veneto

O ex-tripulante relata que havia trabalhado, nos meses que antecederam o ataque terrorista, no voo UA175 com alguns amigos comissários de bordo que perderam a vida. Ele ainda diz que todos foram impactados, mas os que estavam em Boston, de onde esses aviões partiram, foram mais abalados.

O voo UA175 que Paulie cita foi um dos que se chocou com uma das torres do World Trade Center. No dia dos ataques, o comissário de bordo Robert Fangman entrou em contato com a manutenção da United Airlines relatando o sequestro da aeronave, contando que dois pilotos haviam sido mortos e um tripulante esfaqueado. Minutos após a ligação, a aeronave se chocou contra a torre sul, no grande complexo de edifícios, em Nova Iorque.

O primeiro impacto ocorreu com uma aeronave da American Airlines, no voo AA11, em que as 92 pessoas a bordo morreram com o impacto no prédio. Antes do jato se chocar contra a torre, duas comissárias de bordo, Amy Sweeney e Betty Ong, ligaram para a companhia para alertar as autoridades sobre o sequestro. Ambas receberam homenagens póstumas de heróis pela atitude.

Outras duas aeronaves também foram sequestradas por terroristas, sendo que uma da American Airlines caiu no Pentágono e outra da United Airlines caiu em um campo vazio na Penslyvania, após passageiros lutares contra os terroristas a bordo.

“Quero que o público entenda que, naquelas condições, naquela manhã, o que aqueles tripulantes fizeram, ninguém poderia ter treinado. Eles realmente precisam ser reconhecidos como heróis. Eles foram os primeiros respondentes à situação”, finaliza Paulie.

A longa viagem em homenagem aos 20 anos da tragédia ocorrida em 11 de setembro de 2001 começará no dia 21 de agosto e arrecadações para ajudar em sua jornada estão sendo feitas através de seu site oficial, onde mais informações são detalhadas.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias