Ex-engenheiros da SpaceX operam primeiro voo sem piloto sobre área povoada

Cessna 172 via sem piloto em operação coordenada pela Reliable Robotics

A empresa norte-americana Reliable Robotics acaba de revelar um importante marco para o progresso da tecnologia da aviação autônoma.  Em 24 setembro de 2019, a companhia coordenou a operação de um Cessna 172 que taxiou pela pista de um pequeno aeroporto localizado ao sul da cidade de San José, na Califórnia, EUA, decolou, voou por 15 minutos, retornou e pousou sem a presença de um piloto a bordo.

A start-up californiana é comandada por ex-engenheiros da SpaceX, empresa privada de desenvolvimento de tecnologia aeroespacial, e da Tesla Motors, que investe em motores elétricos de alto desempenho, ambas comandas pelo bilionário Elon Musk. Segundo o portal Flight Global, foram mais de 50 voos-teste realizados de forma totalmente autônoma com a aeronave desde então.

A Federal Aviation Administration (FAA), órgão máximo da aviação civil dos Estados Unidos, autorizou o projeto em dezembro de 2018. O Cessna 172 é uma aeronave monomotora com capacidade para quatro pessoas, muito utilizada durante treinamentos de pilotos. O vídeo do voo, que estava sendo mantido sob sigilo, foi divulgado no final de agosto, quase um ano após o feito. Confira:

O sucesso da operação entra para a história da aviação, pois pode ser considerado o primeiro voo não diretamente tripulado de uma aeronave civil sobre uma área povoada. Um mês antes, em agosto de 2019, o Laboratório de Pesquisa da Força Aérea dos EUA e a empresa Dzyne Technologies operaram um Cessna 206, um pouco maior que o 172, porém em uma região remota de Dugway, no estado de Utah.

A Reliable Robotics informou que instalou o mesmo sistema de autonomia em uma aeronave maior, um Cessna 208 Caravan, de propriedade  da Fedex. O modelo tem capacidade apara até 14 assentos e é comumente usado para o transporte de passageiros e realização de entregas. Um voo teste da operação teria sido realizado em 12 de junho deste ano.

A divulgação da Reliable Robotics foi feita uma semana depois que a concorrente XWing também anunciou a realização com sucesso do voo autônomo de um Cessna 208, porém, com um piloto a bordo como segurança.  Ambas as companhias fazem parte de uma corrida pelo desenvolvimento de aeronaves comerciais que possam operar com o máximo de autonomia e segurança possível. Em junho deste ano, a gigante Airbus divulgou a conclusão de seu programa de taxi, decolagem e pouso e sem interferência da tripulação. O objetivo da fabricante francesa é ter um equipamento de grande porte, o Airbus A350-1000 XWB totalmente operado por sensores e comandos computadorizados.

A Reliable Robotics surgiu em 2017 sob o comando de Robert Rose, que liderou o desenvolvimento do software de voo da Space X e também comandou a tecnologia de piloto automático da Tesla. Rose está ao lado de Juerg Frefel, que projetou as plataformas de computação usadas para o veículo de lançamento Falcon 9 da empresa de Munsk, entre outros projetos. O objetivo da empresa é implementar uma tecnologia voos robótica em aeronaves já existentes, o que facilitaria a liberação regulatória. Segundo a empresa, a meta é iniciar a operação de voos autônomos para cargas em dois anos.  

Com informações Bloomberg e Fortune

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias

Dia 9/12: data em que a GOL espera o primeiro voo...

0
Está chegando a hora de ver novamente o Boeing 737 MAX nas operações regulares da GOL. Hoje novas operações foram registradas na ANAC.