Executivo de empresa aérea condenado por rolo na aquisição de um avião A320

O ex-diretor-geral da Air Tanzania, David Mataka, foi condenado a quatro anos de prisão ou a pagar multa de aproximadamente US$ 3.500 após ter sido considerado culpado de abuso de poder numa negociação de uma aeronave e, por consequência, causar uma perda de US$ 43,1 milhões para a Tanzânia.

Segundo o noticiário do All Africa, o ex-executivo, junto com seu gerente de compras e uma advogada da empresa, foram julgados pela aquisição do Airbus A320 de matrícula 5H-MWH (msn 630), sem que fosse seguido um processo de licitação pública como pede a legislação do país. A aquisição da aeronave aconteceu em 2007 e o trio foi acusado em 2016.

A Justiça concluiu que a aeronave foi adquirida pela empresa aérea desconsiderando pareceres técnicos. O CEO também desconsiderou o parecer jurídico do Procurador-Geral, custando assim ao governo, como fiador do negócio, uma perda pecuniária de dezenas de milhões de dólares. A acusação também concluiu que os executivos forjaram atas para obter a aprovação retrospectiva do arrendamento da aeronave.

Como resultado de todo esse processo, o jato chegou na Tanzânia para um contrato de seis anos, mas ficou em posse da companhia aérea por apenas 48 meses, 41 dos quais esteve parada por problemas técnicos. Apesar das alegações do governo tanzaniano de que os contratos haviam sido assinados ilegalmente, a empresa aérea foi condenada a pagar por todos os custos de leasing, com juros.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Senadores ficam enfurecidos com plano de segunda pista no Aeroporto de...

0
Representantes do governo disseram entender as razões dos senadores catarinenses, mas não se comprometeram com a realização da obra.