Experiência a bordo do KC-390: voamos no primeiro cargueiro da Embraer

O Embraer KC-390 fez um voo com as aeronaves A-29 Super Tucano da Esquadrilha da Fumaça

Neste mês de abril a Embraer Defesa & Segurança apresentou pela primeira vez em uma feira aeronáutica realizada nas Américas o seu mais novo avião multimissão, o KC-390.




A aeronave tocou o solo da Base Aérea de Pudahel, onde foi realizada a FIDAE 2018, marcando assim um passo muito significativo para a indústria aeronáutica brasileira. O jato foi um dos maiores destaques da vigésima edição da feira este ano.

A presença do KC-390 teve como proposta apresentar um novo padrão multimissão de aeronave dentro dos requisitos da categoria. A diversidade de missões realizadas pela aeronave brasileira chama a atenção pela amplitude de atuação: transporte de cargas, tropa, paraquedistas, reabastecimento aéreo, apoio a missões humanitárias, combate a incêndios, evacuação aeromédica, além de busca e salvamento.

No chalé da Embraer recebemos o convite para assistir apresentação da aeronave em voo. Durante 15 minutos, o KC-390 demonstrou toda sua manobrabilidade, realizando curvas acentuadas, com sua decolagem e pouso bem curtos, com direito a parada total com o uso do reverso de seus motores, usados também para mover a aeronave para trás. Um dos momentos mais marcantes da apresentação foi quando o KC-390 fez um voo com as aeronaves A-29 Super Tucano da Esquadrilha da Fumaça. Foram realizados algumas passagens do voo em formação com seis aeronaves, e no encerramento foi realizada a manobra Break junto com o cargueiro militar, mostrando a versatibilidade do KC-390.

Após o seu retorno à feira, realizamos uma visita guiada dentro da aeronave, onde estivemos acompanhados pelo Ricardo Santos e Valtécio Alencar, do departamento de Comunicação Corporativa da Embraer, e pelo diretor do programa KC-390, Paulo Gastão. A aeronave que esteve em exibição estática e que foi utilizada para voos de demonstração foi o protótipo 0001 prefixo PT-ZNF, a mesma aeronave que esteve envolvida em um incidente que foi veiculado pelas mídias especializadas em 12 de outubro de 2017, onde acreditava-se que o PT-ZNF tinha sofrido danos estruturais consideráveis após o incidente ocorrido durante um voo de ensaio. Como resposta a Embraer enviou exatamente esta aeronave à feira, demonstrando assim que o protótipo 0001 está em perfeitas condições e que o projeto, que é extremamente robusto, atesta a qualidade do programa KC-390.

No final da tarde a Embraer Defesa & Segurança nos convidou para um voo de demonstração sobre a Cordilheira dos Andes. Os quarenta convidados foram acomodados em assentos laterais padrão militar para paraquedistas.

Como a aeronave não estava com o revestimento acústico instalado, foram distribuídos protetores auriculares para abafar o barulhos dos motores turbofan Pratt & Whitney, modelo IAE V2500-E5, mesma série utilizada nos Airbus A320. Ainda assim foi possível manter uma boa conversa a bordo mesmo sem os devidos preparos acústicos.

Durante o taxiamento da aeronave até o momento de alinhar na pista para decolagem nada dava para se ver do lado de fora. Por ser um avião de transporte de carga, continha apenas quatro janelas, sendo duas nas portas e duas próxima à porta principal. Após nosso alinhamento na pista, recebemos o anúncio do comandante para nos prepararmos para a decolagem. Com o empuxo de 31.330 libras (139.400 N) de cada motor, ganhamos o céu rumo aos Andes. A sensação de decolar a bordo de um avião militar de transporte em assentos laterais, ao qual não estamos acostumados, foi incrível. Com cinto de segurança estilo barrigueira, quando a aeronave arrancou pela pista 35R sentimos nossos corpos serem puxados para a lateral, nos aproximando bem do companheiro que estava ao nosso lado.

Assim que ganhamos altitude e estabilidade, recebemos autorização para desafivelar os cintos e sair de nossos assentos. Os convidados se revezavam para fazer alguns registros das quatro janelas existentes no porão de carga da aeronave. Em seguida, Valtécio nos convidou para conhecer a cabine de comando e um pouco da tecnologia fly-by-wire em sua aviônica, apreciando a vista privilegiada dos comandantes e o moderníssimo sistema de aviônica instada Pro Line Fusion da Rockwell Collins.

Foram cerca de cinqüenta minutos e uma experiência incrível a bordo do KC-390, uma aeronave que pode voar numa velocidade máxima de 870 km/h, transportando até 26 toneladas de carga, além de operar em ambientes diversos, com pistas não preparadas e com uma autonomia invejável.

Convidados em seus assentos, cintos afivelados, tomamos rumo à Base Aérea de Pudahel, onde fizemos um pouso manteiga pela pista 17L. Chegava ao fim nossa experiência em voo a bordo do Embraer KC-390.

No segundo semestre deste ano a Embraer deverá entregar as duas primeiras unidades de um total de 28 encomendadas a serem entregues no decorrer dos próximos 12 anos à Força Aérea Brasileira (FAB). As aeronaves ficarão baseadas na ALA 2 em Anápolis (GO). Segundo a FAB, os dois protótipos do KC-390 construídos para a campanha de testes somam aproximadamente 1.500 horas de voo e mais de 40.000 horas de testes em laboratórios.

Esse período de ensaios já garantiu à aeronave a capacidade inicial de operação (IOC), certificado que assegura as condições mínimas para o início das operações do avião. O novo cargueiro da Embraer também obteve um certificado de tipo provisório da ANAC, atestando a adequação do projeto aos requisitos de homologação para aeronaves de transporte.

Luis Neves

É agente de turismo e acompanha a evolução da aviação brasileira desde o final da década de 80. Fotografa tudo o que voa e tem uma das maiores coleções de fotos de aviação do Brasil.