Extrajet pode se tornar um novo operador de aviões Embraer E-Jet

Uma nova companhia aérea belga com sede na Antuérpia estaria próxima de nascer sob o nome Extrajet. Segundo o alemão aerotelegraph, o projeto pertence ao empresário britânico James Thorpe, que deseja operar um avião a jato Embraer 145 ou 170 sob um COA (Certificado de Operador Aéreo) maltês.  

A ideia, ainda em fase inicial, é que a empresa voe de sua base para destinos selecionados na Alemanha e Suíça a preços atrativos. “Os viajantes a negócios preferem jatos voadores em vez das aeronave a hélice F-50 da Air Antwerp”, disse Thorpe, comentando sobre a concorrente.

Para dar o pontapé inicial, ele pretende arrecadar US$ 25 milhões para alavancar as operações. Além disso, ele declarou ao aerotelegraph haver investido US$ 500 mil na Extrajet para iniciar o projeto e diz já estar procurando comissários de bordo e pilotos.

Thorpe teve que adiar o início de seu Extrajet várias vezes. Primeiro, sua esposa desenvolveu câncer de mama e faleceu. Depois disso, ele teve que cuidar de seus quatro filhos. Ele finalmente queria começar em março de 2020 – mas então veio a Covid-19.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião Airbus A321neo Vietnam Airlines

Piloto aumenta flaps ao invés de recolher trem de pouso e...

0
A confusão do piloto ao selecionar os flaps ao invés do trem de pouso levou a uma sequência de graves situações críticas em voo.